Substituindo o ódio.

Nos parece evidente e razoável que temos que substituir o ódio pelo amor.

No entanto, praticar assim dessa maneira, reconheço, é bastante difícil.

Tudo aquilo que pensamos e racionalizamos, não desejar o mal, não revidar, não guardar ressentimentos, na hora dos incidentes, os pensamentos negativos acodem a nossa mente, e acabamos agindo diferente.

Temos que levar a vida mais leve, livres de tantos pensamentos negativos, liberados de tanta carga desnecessária.

Substituindo pensamentos negativos:

Uma pratica que sempre dá bons resultados, e substituir os pensamentos negativos dirigidos a outra pessoa, por pensamentos neutros, um pouco melhores.

Substituir o ódio pelo não ódio é algo dentro da nossa capacidade, e devemos experimentar, um passo de cada vez.

Perdoar as pessoas e deixar passar os pequenos incidentes, jogando por cima um manto de compaixão e serenidade nos faz bem, ameniza os conflitos e abre caminho para entendimento entre as pessoas.

Deixar passar, perdoar e seguir adiante, é um gesto de amor consigo mesmo.

Fazemos isso para o nosso bem.

Sempre vamos encontrar motivos para se ressentir com as outras pessoas – é só procurar.

Mas por outro lado, se deixarmos passar as coisas sem importância, vamos evitar de carregar tanto lixo emocional na nossa mochila.

O ódio é um veneno para nós mesmos. Funciona como uma brasa ardente que pegamos com a própria mão, na intenção de atirar no outro. Os feridos e maculados somos nós mesmos.

Devemos esquecer o ódio, devemos esquecer a revanche.

Até que ponto isso é importante? É a pergunta que devemos nos fazer permanentemente.

Quero desenvolver, cada vez mais, a serenidade, pois aprendi que ela nos permite enxergar a realidade na sua verdadeira dimensão.

Houve tempos que levava tudo ao é da letra, carregava ressentimentos e acabava fazendo um mal para mim mesmo.

Quero ser feliz, quero me liberar dos pensamentos negativos, e vou praticar, um dia de cada vez.

R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta