Soluções simples.

Aceite as soluções e deixe lado a busca da perfeição. Podemos adiar indefinidamente a solução de um problema, com o nosso ímpeto perfeccionista, buscando uma solução ideal.

Com isso, acabamos perpetuando o problema e seus reflexos dele na nossa vida.

Em muitas das situações, temos que ser práticos, e resolver de pronto o que está nos incomodando.

Alguns problemas são complexos e vamos conviver com eles anos, mas a maioria dos problemas exige apenas uma ação simples, direta e objetiva.

Simplifique a vida:

Soluções simples simplificam a nossa vida, e impedem que fiquemos paralisados por uma porção de pequenas coisas para resolver.

Vale dizer a lâmpada queimada no carro, trocar os pneus, cortar a grama do jardim e tantas outras coisas do cotidiano.

Quando vamos para as questões sociais, um telefonema para desmarcar um compromisso e pedir desculpas, conversar com alguém para resolver um conflito direto e simples.

Os pequenos problemas conseguem nos incomodar quando adotamos duas posturas. A primeira é a do perfeccionismo, e aí, insatisfeitos com qualquer alternativa de solução, não adotamos nenhuma. Assim o problema perpetua, cresce e vira uma crise. A segunda é a famosa procrastinação, que é quando empurramos com a barriga até que o saco de problemas fica tão grande que não dá mais para empurrar. Quando isso acontece, tentamos esconder o saco por trás dos tradicionais artifícios da culpa, da vitimização de si próprio e do reclamatório sem fim.

Solução rápida:

Problemas simples exigem solução rápida, simples e direta – olhe dessa maneira e resolva já.

Simplifique a vida naquilo que é mais fácil de resolver, reduzindo drasticamente a lista de pendências de coisas para resolver e solucionar.

Um dia de cada vez, é possível, com determinação, manter a nossa lista com um volume aceitável de pendências.

Não exija muito de si, mas não faça corpo mole.

Cuide primeiro do que é mais importante, e desenvolva o importante senso de prioridade, assim não vai se sentir sobrecarregado.

R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta