Ser durão o tempo todo.

A vida é dura, e somos sempre estimulados a ser duros.

Pensamos estar agindo com dureza com as situações, mas estamos com freqüência sendo duros consigo mesmo.

Há uma diferença entre ser durão e ser bravo.

Ser durão é fazer cara de mal, agüentar firme e não chorar.

Ser bravo é resistir, ser resiliente e firme nos seus propósitos, agir com serenidade.

Há ainda uma diferença entre ser firme e ser duro.

Uma árvore tem o tronco firme e os galhos e folhas leves e flexíveis.

Se o tronco fosse duro como vidro, se quebraria na primeira ventania.

Ser firme é manter os seus valores e princípios, sendo flexível nos casos em que isso seja requerido.

 Se imagine tirando uma farpa do dedo. Há que ser gentil e cuidadoso. Uma atitude dura, brusca e até abrutalhada pode botar tudo a perder.

Assim é como muita coisa na vida.

Quando as coisas ficam feias, há que ser gentil, especialmente consigo próprio.

Às vezes nos sentimos ultra dedicados e estamos sendo excessivamente duros com os que nos cercam e consigo próprio.

A vida é sempre um cabo de guerra entre o trabalho, a vida pessoal, os relacionamentos, a família, e não é bom subjugar uma área da vida em benefício de outra.

Quem dá o máximo valor ao trabalho em detrimento à atenção à família certamente está escolhendo um caminho tortuoso para a felicidade.

O trabalho pode ser um vilão nesse caso.

O mesmo pode acontecer com os estudos. Alguns se dedicam tanto aos estudos que se esquecem de viver, e de conviver.

O equilíbrio e a flexibilidade andam juntas e são ingredientes importantes para a felicidade.

Ser durão, não raro significa perdoar os outros e não perdoar a si próprio.

Pode ser ainda negligenciar nos seus próprios sentimentos, ser paciente com os outros e impaciente quando se trata das suas coisas.

As pessoas mais sensíveis são mais propensas a esse comportamento.

É bom ser sensível, especialmente quando a sensibilidade se volta para o amor a si próprio, o amor aos outros e a tudo.

É importante desenvolver a aceitação, e pegar leve no perfeccionismo.

A Dra. Alice Domar escreve assim: “porque somos tão duras conosco? – se falássemos com outras pessoas da maneira que falamos conosco, não teriamos muitas amigas.”

Não queira se encaixar perfeitamente a tudo que te cerca.

Se deixe desencaixar.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta