Seja você mesma.

O melhor papel que você pode desempenhar é de você mesma.

Seja uma pessoa autêntica e genuína.

As pessoas são diferentes. Diferentes temperamentos fazem com que as pessoas ajam e assimilem as coisas de maneira diferente. Há pessoas de todo tipo, introvertidas, objetivas, sentimentais. Seja você mesma.

Faça um exercício ou testes para perceber melhor como você é de fato. Uma vez internalizada a sua personalidade. Seja você mesma, não se violente de graça.

É claro que algumas vezes temos que agir fora do nosso script, mas apenas ocasionalmente. Rechace scripts que não coadunam contigo.

Somos muito impulsionados para atuar de maneira adversa ao nosso estilo e ferindo a nossa personalidade.

Quando isso ocorrer, faça como os gregos. Use a persona, aquela mascara do teatro e faça o melhor que puder.

Não quero dizer que aja com falsidade, mas ensaie bem e desempenhe o papel, sabendo de antemão que aquilo não é você.

Temos um desgaste enorme tentando ser aquilo que os outros querem que sejamos.

Somos o que somos, e somos bons nisso. Temos muitas qualidades autênticas que temos que alardear. Temos muitos pontos fortes que nos colocam em destaque sem que precisemos fingir ou forçar a barra.

Pegue um dia bem típico e faça um balanço de quanto tempo você atua sendo você mesma, e quanto tempo você desempenha papéis ditados pelos outros.

Se pesar mais pelos papéis dos outros, pode estar aí a sua baixa auto-estima e o seu sentimento de pouca valorização.

Ter o nosso comportamento ditado pelos outros, nos coloca de novo na esteira hedônica, correndo atrás do próprio rabo.

Seja você mesma.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta