Seja autônomo.

Por algum motivo ou outro, as pessoas criam uma dependência uma das outras, e isso não contribui para o bem estar.

Não digo a vinculação afetiva, mas a dependência das coisas práticas, como trocar a lâmpada, costurar um botão na camisa, dirigir, ou resolver coisas corriqueiras.

Minha mãe, desde que era muito pequeno, me estimulou a fazer as coisas sozinho.

Quando eu era bem pequeno, tinha muita dificuldade em me vestir sozinho.

Desenvolver a autonomia:

Tinha os braços gorduchos e não conseguia tirar a camiseta por cima da cabeça, e ela me ensinou algo que aplico sempre. Procure ser independente, adquirir autonomia, fazer você sozinho, sem depender dos outros.

No começo ela me ajudava a tirar a camiseta, mas logo me ensinou um truque. Consistia em enganchar a camiseta pela parte de traz no puxador da cômoda e ir me agachando até me deitar no chão, e assim conseguia fazer sozinho.

Fiz assim por algum tempo até conseguir me virar normalmente.

Assim como ensinam os índios Sioux nos Estados Unidos aos seus pequenos, devemos procurar a nossa autonomia em todas as fases da vida.

À medida que envelhecemos, temos que primar pela autonomia, pois os filhos e netos não estão com aquela disponibilidade para buscar coisas, resolver assuntos e cuidar dos velhos.

Para os idosos:

A autonomia, tanto nos pequenos quanto nos velhos contribui enormemente para a elevada autoestima, e portanto para a nossa própria saúde.

Quem cultiva uma vida de muita dependência, está sempre esperando alguém para resolver alguma coisa.

A comida não é preparada.

As máquinas não são reparadas.

Os manuais não são lidos e os equipamentos mais simples não são montados.

Os cães morrem de fome.

O carro fica sem combustível.

A vida fica parada.

Quem tem filhos pequenos deve primar pelo ensinamento da autonomia.

Quem está envelhecendo deve primar pela sua própria autonomia.

Beco

1 Comentário

Douglas

about 6 anos ago

É a mais pura verdade, a independência faz parte do instinto humano. Estou buscando a minha a cada dia.

Responder

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta