Se você não consegue, entregue a ELE, sem culpa.

Muitas vezes não conseguimos nos desligar de algo, de uma preocupação sobre algo que não temos qualquer controle, como por exemplo, um familiar mortalmente enfermo.

Devemos fazer o exercício de entregar a ELE, se desligar sem culpa e aguardar o desfecho da situação.

Se desligar não quer dizer abandonar, mas sim um desligamento amoroso das coisas que não temos controle.

Vale relembrar a poderosa oração da serenidade que já postamos anteriormente.

É algo elementar, mas nos esquecemos todo momento: não podemos controlar o incontrolável.

É a prepotência latente em cada um, de que é capaz de tudo, que tem que ser capaz de tudo.

Com a maturidade, esse atributo da prepotência tem que ser amenizado, assim como aparamos as arestas de algo que está arranhando. Passo a passo, vamos lixando a superfície até que ela fica lisa, e aquilo que estava arranhando não nos incomoda mais.

Lutamos inutilmente contra as coisas que não temos controle, e como escreveu Paulo Coelho numa postagem antiga: a entrega obriga o guerreiro a parar de fazer perguntas tolas, e o ajuda a vencer a culpa.

Fique atento para a ajuda quando ela aparecer.

É confortável perceber que não estamos sozinhos mesmo quando estamos sós.

Mesmo quando as coisas derem errado, quando tudo parecer sair do controle, saiba que ELE tem um plano infalível para cada um de nós.

Acredite. Não é difícil acreditar numa Força Superior.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta