Se preocupe com o que está ao seu alcance.

Frequentemente estamos preocupados com coisas que fazem parte do nosso dia-a-dia, mas que estão totalmente fora do nosso alcance mudar. Isso inclui as outras pessoas, o governo, o tempo, e tantas outras coisas.

Se preocupar com tudo e com todos é uma perda de tempo e uma fonte inesgotável de infelicidade. Se atenha ao que está ao seu alcance. Aceite aquilo que não está ao seu alcance.

Busque a sabedoria para distinguir uma da outra. Não tente mudar as outras pessoas. Cuidar de si próprio já é uma empreitada e tanto.

Peça pela serenidade, assim como diz a nossa conhecida oração da serenidade.

Prepotência:

Não somos assim tão poderosos, e é bom se dar conta disso.

Não podemos transformar o mundo, mudando tudo e todos.

Temos sim, noção daquilo que não nos agrada e a real dimensão do quanto gostaríamos que fosse diferente, mas a partir daí, a aceitação tem que trabalhar.

É infeliz quem permanece lutando para que o mundo se molde ao seu discernimento.

É infeliz aquele que tenta incessantemente controlar as pessoas, dirigindo para o padrão de comportamento que ele acha correto.

Aceitar o mundo tal qual ele é, e as pessoas, com todas as qualidades e deficiências é uma tarefa permanente.

Vivemos entre o contentamento e a contrariedade.

Estresse e apatia:

Vivemos entre o estresse e a apatia.

Mas a vida é uma modulação desses dois extremos, e o equilíbrio e a harmonia depende da aprendizagem de cada um.

Nunca pare de aprender a viver melhor.

Nunca deixe de perceber com clareza o que te faz feliz.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta