Se perdoe.

Procure se perdoar.

Sabemos que é mais fácil perdoar os outros que perdoar a si próprio.

Porque será?

O auto-julgamento que fazemos das nossas falhas é massiçamente bombardeado pela voz interna, crítica e severa, que cobra de nós uma perfeição além dos limites.

Algo estranho que acontece conosco, é o fenômeno da auto-indulgência. É como se guardássemos a falha, a culpa e o sofrimento, como um escudo para evitar futuros sofrimentos.

Uma recomendação interessante que aprendi, é sobre ser específico quando estamos tentando nos perdoar.

 Assim como nos julgamentos usuais nos tribunais, as observações são específicas e pertinentes. Nesses casos, os crimes são julgados um de cada vez.

Quando embolamos uma porção de coisas que fizemos e que nos arrependemos, fica difícil perdoar.

Perdoe uma coisa de cada vez.

A mania de perfeição também é um complicador. Queremos ser perfeitos, e julgamos ser perfeitos. O que prejudica o auto-perdão.

Pode parecer estranho.

Estar descontente consigo é diferente de se odiar pelo que passou.

Não seja tão rigoroso consigo mesmo.

Aprenda a gostar mais de si próprio.

Pare de perguntar o que há de errado com você?

Se perdoe com mais freqüência.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta