Se perdoe.

Procure se perdoar.

Sabemos que é mais fácil perdoar os outros que perdoar a si próprio.

Porque será?

O auto-julgamento que fazemos das nossas falhas é massiçamente bombardeado pela voz interna, crítica e severa, que cobra de nós uma perfeição além dos limites.

Algo estranho que acontece conosco, é o fenômeno da auto-indulgência. É como se guardássemos a falha, a culpa e o sofrimento, como um escudo para evitar futuros sofrimentos.

Uma recomendação interessante que aprendi, é sobre ser específico quando estamos tentando nos perdoar.

 Assim como nos julgamentos usuais nos tribunais, as observações são específicas e pertinentes. Nesses casos, os crimes são julgados um de cada vez.

Quando embolamos uma porção de coisas que fizemos e que nos arrependemos, fica difícil perdoar.

Perdoe uma coisa de cada vez.

A mania de perfeição também é um complicador. Queremos ser perfeitos, e julgamos ser perfeitos. O que prejudica o auto-perdão.

Pode parecer estranho.

Estar descontente consigo é diferente de se odiar pelo que passou.

Não seja tão rigoroso consigo mesmo.

Aprenda a gostar mais de si próprio.

Pare de perguntar o que há de errado com você?

Se perdoe com mais freqüência.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Please be polite. We appreciate that.
Your email address will not be published and required fields are marked