Se mexa.

Faça alguma coisa.

Dê o passo, mesmo que pequeno. Uma jornada longa se inicia com um pequeno passo. Não deixe que os pensamentos circulares e o turbilhão de preocupações te mantenham imobilizado.

Não realizar nada, acrescida à preocupação excessiva com o passado e com o futuro faz das pessoas verdadeiros postes infelizes.

Qualquer coisa pode ajudar. Um exercício físico, uma arrumação na casa, uma ligação telefônica, uma caminhada mesmo que curta.

Sou de opinião que não seja necessário ir à academia para se manter fisicamente ativo.

No dia-a-dia temos inúmeras oportunidades para manter o corpo em movimento.

Alguns lances de escada ao invés de elevador.

Caminhar até o carro no estacionamento.

Caminhar para ir ao almoço.

Caminhar para ir a uma reunião.

Ajudar nos afazeres de casa – lavar pratos, arrumar a cama.

Ajudar na preparação do jantar, picar os legumes.

A movimentação, mesmo sem chamar isso de exercício faz bem ao corpo e ao espírito.

É melhor qualquer movimento do que ficar sentado na frente da televisão apenas mudando os canais.

Sabemos que o exercício físico previne uma porção de doenças e além de te manter atento, com bons reflexos e livre de acidentes comuns.

O sedentarismo também é um condutor para a obesidade, que por si só se constitui em riscos enormes à saúde.

Dizem que dançar faz muito bem, e os estudos associam bastante a dança e saúde dos idosos. A dança contribui para a socialização, mas também para o aprimoramento do equilíbrio, o que protege os idosos de quedas comuns.

Em muitos casos precisamos estar motivados apenas para dar o primeiro passo, o resto vai como que naturalmente.

É como entrar numa piscina fria. Depois que vencemos a motivação para pular para dentro, continuar nadando é algo mais  natural.

Peter Bregman expõe melhor essa idéia no texto que segue que aparece na Harvard Review.:

http://blogs.hbr.org/bregman/2010/05/how-and-when-to-motivate-yours.html

Passe adiante.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta