Se livre do tsunami mental mesmo sendo realista

Se livre do tsunami mental mesmo sendo realista

A vida é difícil mais ainda assim é boa, e podemos aproveitar, saborear e ser feliz com tudo que já temos.

Não raro, criamos cenários catastróficos na nossa mente, e nos deixamos assombrar por acontecimentos desastrosos que nunca irão acontecer.

Alguns recomendações que podem te ajudar.

Não faça drama em tudo que se passa na sua vida. Pegue leve e encare a vida com mais serenidade e simplicidade.

Não fique maquinando vingança, pois isso é um prato cheio para cenários catastróficos.

O mundo não vai acabar, e é bem possível que amanhã, tudo te pareça menos ameaçador.

Cenários improváveis:

Não trabalhe com cenários improváveis ou até impossíveis. Lembre-se de tanta coisa ruim que você imaginou e não aconteceu.

É muito difícil manter a sanidade e o equilíbrio se julgamos que a vida é aquilo que transcorre entre uma crise e outra.

Às vezes somos nós mesmos que fazemos tanto drama. Podemos aceitar mais, buscar a serenidade para perceber o mundo na sua real dimensão.

Quando fazemos drama, rapidamente afastamos os amigos, pois eles se sentem drenados e esgotados com tanto catastrofismo.

Fique bem consigo mesmo e atraia pessoas boas para junto de si. E também fique longe das pessoas que fazem drama – elas drenam a sua energia.

Aquelas pessoas que se interessam mais pelos seus problemas do que pelas suas realizações, farão drama contigo e acabarão te puxando pra baixo.

Situações desconfortáveis e conversas muito negativas – caia fora – vá para outro lugar.

Coloque energia nas suas virtudes e valores, e aprecie as coisas boas da sua vida, e quando a coisa apertar, procure ajuda dos amigos e familiares e não relute em buscar ajuda profissional.

Se livre do tsunami mental.

Pense positivo – seja positivo.                                                                                                                                                                                 Rubens Sakay (Beco)

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta