Se livre da avareza, se descarregue de tanto materialismo

Se livre da avareza, se descarregue de tanto materialismo

O Natal vai chegando e parece que nada aplaca a nossa vontade de ter coisas, ganhar mais dinheiro.

Dinheiro é necessário para viver, mas quanto é necessário e quanto é o suficiente?

A avareza é diferente da ganância ou do hedonismo.

Tem a ver com o medo de perder e o sentimento permanente de carência.

O avarento conta os tostões, o ganancioso corre atrás dos milhões, e nenhuma dessas atitudes garante a felicidade.

A avareza é um atributo triste, porque está puramente associado à satisfação de ganhar e o medo de perder, sem relação com a felicidade ou o bem-estar.

Tem a ver com a baixa autoestima e a necessidade de se completar com o valor material, e principalmente monetário, financeiro.

A avareza contamina tudo que o indivíduo faz na vida, e a máquina de contar as moedas entra em cena em todas as decisões.

Diferente da esteira hedônica, que escraviza a pessoa pela necessidade permanente de adquirir e possuir, a avareza não está associada a adquirir, mas a pesar o que vai ganhar ou perder em termos monetários, sem sequer avaliar a implicação real para si mesmo.

Digo que a avareza é triste porque as escolhas feitas sob a ótica da avareza raramente são compatíveis com os objetivos de bem-estar e felicidade.

As pessoas continuam preocupadas com os tostões mesmo quando eles não fazem qualquer diferença na própria vida.

Um pouco mais, um pouco menos:

Um pouco a mais, um pouco a menos não faz nenhuma diferença na vida de muita gente que ainda se preocupa permanentemente com os tostões.

Já a ambição é diferente, e tipicamente nos jovens, é algo positivo e impulsiona para aprimoramento, o estudo, e o empenho para progredir na vida.

Preste atenção se você não está sempre contando os tostões em todas as decisões.

Isso tem remédio, e dá pra consertar.

O sucesso não está em acumular os tostões, mas em fazer aquilo que gosta.

Primeiramente, aprenda a lidar com o medo de perder.

1-Exercite negociando coisas, ganhando ou perdendo, sem contar cada centavo na negociação. Deixe a coisa mais solta.

2-Não estabeleça um limite rígido para perder. Isso pode ser ruim em algumas circunstâncias, mas para o avaro, é um bom exercício.

3-Estabeleça um plano de negociação. Não deixe para sentir o frio na barriga do perde e ganha, na hora do negócio.

4-Estabeleça o que quer ganhar ou o que está disposto a perder antes do negócio, com alguma flexibilidade.

Isso é um bom exercício para lidar com o medo.

Uma vez feito o negócio, deixe de lado as alternativas descartadas.

Se você fica obcecado com o preço que pagou pela televisão quando comparado com os preços que encontrou depois da compra, acenda a luz amarela.

Se você é inflexível na divisão da conta do restaurante até no nível dos centavos, acenda a luz vermelha.

Faça o exercício.

Se livre desse comportamento infeliz.

  Rubens Sakay (Beco)

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta