Se interesse pelas pessoas – sem preconceito.

Goste das pessoas pelo que elas são.

Olhe para as pessoas sem preconceito e sem julgamento, e assim vai apreciar mais aquilo que são de verdade.

Devemos desenvolver o interesse pelas pessoas de maneira gratuita, sem toma lá dá cá, sem favores e concessões.

As pessoas são bonitas pela que são, suas preferências, suas vulnerabilidades, suas forças e fraquezas, sua persistência e tenacidade.

Ler as emoções:

Vejo as crianças pequenas e noto como elas apresentam desde cedo, a capacidade de ler as emoções dos outros e interagir com intensidade.

Quando crescemos, a sociedade materialista, a esteira hedônica nos coloca correndo atrás de coisas que não agregam e não contribuem para a nossa felicidade.

Acabamos assim – superficiais – materialistas – e até vacinados contra os sentimentos, seja de dor ou de alegria.

Sei que é particularmente difícil interagir com qualquer pessoa, abstraindo daquilo que é a sua profissão ou status social, mas aqui vai um exercício simples.

Se imagine numa reunião de amigos, onde há sempre alguém que você não conhece.

Puxe uma conversa, sem entrar pelo lado da profissão, onde mora ou que carro usa para trabalhar.

Tampouco pergunte os mesmos assuntos relacionados com a esposa.

Simplesmente deixe a conversa rolar, de maneira fluida e singela pelo campo das preferências, das escolhas, da criação dos filhos e quem sabe sobre a vida conjugal.

Ao sair da reunião, você vai notar uma sensação diferente, como se realmente tivesse conhecido alguém, não o carro, a casa ou o emprego.

Se interessar pelas pessoas é um processo virtuoso – quanto mais se faz, mais se sente tranquilo fazendo.

Quebre a rotina das conversas fúteis em reuniões de amigos.

Experimente o lado interessante das pessoas.

Beco

1 Comentário

Luiza Souza

about 5 anos ago

Ótimo texto, parabéns. Muitas vezes ficamos tão centrados em nós mesmos, em nossas preocupações, nossos interesses... e esquecemos da riqueza que é conhecer o outro, se interessar e aprender com ele, genuinamente, sem interesse. Se queremos nos sentir conectados, sermos amados e estar no meio de muita gente especial, o primeiro passo é se doar de coração, sem esperar recompensa. Esse post trouxe valiosas reflexões para mim

Responder

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta