Se engaje naquilo que faz.

Se engaje de coração em tudo que faz, mesmo que seja uma coisa mecânica, como cortar a grama, limpar a piscina, ou lavar as panelas.

Quando colocamos a nossa consciência totalmente naquilo que fazemos, interrompemos a ruminação, tão comum quando estamos em atividades que não exigem concentração. Com isso ganhamos a paz e o discernimento para conduzir a própria vida.

Quando estamos com a mente perturbada, e isso acontece com frequência, ficamos com a mente vagando seja no passado ou no futuro. Perdemos assim a chance de aproveitar a vida.

A vida é desperdiçada enquanto ruminamos os problemas ou desviamos o nosso foco para a vida alheia.

Por outro lado, quando nos concentramos naquilo que fazemos, não só aproveitamos plenamente a nossa vida, quanto somos premiados com a valiosa serenidade. Ela que é nossa aliada para enfrentarmos as adversidades e encontrarmos as soluções para as questões fundamentais da vida.

Fazer as coisas de coração implica em compreender o que de fato prende a nossa atenção. Aquilo que nos faz entrar em fluxo, as atividades nas quais mergulhamos e não vemos o tempo passar. E com essa compreensão, passamos a escolher melhor a carreira, os projetos, aquilo que nos metemos a fazer.

Piloto automático:

Quando fazemos as coisas no automático, ficamos insatisfeitos e nem bem sabemos porque.

A consciência plena traz significado para a nossa vida, e nos permite perseguir aquilo que realmente completa a nossa vida. Consequentemente isso nos traz bem estar e felicidade.

Não raro, as pessoas se engajam ativamente na busca por conforto financeiro, negligenciando das coisas que realmente tocam o seu coração. O resultado disso é que no final, se dão conta que perseguiram o objetivo errado, que deveriam ter escolhido viver a vida intensamente – afinal, caixão não tem gavetas.

Faça aquilo que tenha significado para você, e faça com determinação e envolvimento.

R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta