Se desligue, mas não negligencie.

Frequentemente ficamos tão envolvidos emocionalmente com determinado problema, que sentimos que ele contamina tudo no nosso cotidiano.

Isso acontece com doença em família, problemas financeiros, conflitos no trabalho e tantos outros assuntos.

É bom desenvolver um desligamento emocional, um distanciamento responsável.

Se desligue, sem negligenciar. Não é largar de mão, ou deixar de lado, mas simplesmente guardar uma distância adequada.

Sonambulismo crônico:

Fácil dizer, mas muito difícil de praticar. Somos tomados pelo problema de tal maneira que a nossa própria vida fica em segundo plano. Nos esquecemos de cuidar de si mesmo. Relaxamos, ficamos anestesiados e praticamente imersos num sonambulismo crônico.

Não é bom para a sua saúde e atrapalha toda a sua vida. Acorde para a vida e cuide de si próprio.

Faça uma lista das coisas que você gosta, coisas que andam meio esquecidas. Faça algo por você, e se preocupe com o problema apenas na medida do razoável.

Temos uma mania de achar que temos que dar tudo de nós, e assim ficaremos com a consciência tranquila. Não raro, exageramos e nos prejudicamos, pois no final das contas, o problema muitas vezes foge ao nosso controle.

Acontece assim com a doença crônica de familiares, e outros problemas que afligem outras pessoas.

Compaixão:

Um sentimento nobre que certamente devemos manter, é a compaixão, que significa sentir você mesmo a dor do outro, e experimentar um sensação de urgência de fazer algo, um desejo que a dor do outro passe.

Mas devemos fazer isso tudo, com um desligamento e distanciamento adequado, do contrário, acabamos emocionalmente sobrecarregados, e não vamos ajudar em nada.

O mundo é cheio de sofrimento, e a condição humana é de dificuldades, lições e crescimento.

Cada um segue o seu caminho e carrega a sua cruz.

Quando miramos a caminhada do outro, devemos fazê-lo com amizade, compaixão e generosidade.

Fossemos nos envolver em tudo quanto é problema, teríamos que viver muitas vidas, pois o nosso ímpeto de ajudar pode transbordar.

Devemos fazer o que está no nosso alcance, viver a nossa vida, e ajudar onde e quando puder, e terá sido o bastante.

R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta