Se deixe contagiar.

Se deixe contagiar, diz a escola de medicina de Harvard, em artigo interessante sobre o fenômeno da felicidade entre as pessoas.

Segundo o artigo, na pesquisa do prof. Nicholas Christakis, o contagio virtuoso acontece na família, entre vizinhos, amigos e colegas de trabalho, assim como a gripe, a felicidade contagia aqueles com quem relacionamos.

Somos seres sociais, e uma das maneiras mais marcantes de expressão da felicidade se verifica nos relacionamentos.

Felicidade é o trajeto:

Relembra o artigo que a felicidade não é um ponto de chegada, e sim pequenos passos incrementais que constroem esse estado mental, e segundo Christakis, não devemos perguntar como ser mais feliz, mas sim como aumentar a felicidade em torno de nós, pois ela é contagiosa e vamos ser fatalmente contaminados.

A escola de medicina de Harvard, nos estudos do dr. Ichiro Kawachi mostra forte correlação entre a felicidade e a saúde. Essa correlação parece elementar, mas não nos damos conta das vantagens em se esforçar para mudar o nosso estado mental.

Quando olhamos o mundo de forma mais serena, honesta  e generosa, não só contagiamos as pessoas a nossa volta, mas permitimos que a nossa saúde melhore.

Os estudos mostram que o contagio acontece até com pessoas que sequer conhecemos. Ficamos felizes de saber que amigos e nossos amigos foram abençoados com alguma graça e estão mais felizes.

Infelicidade:

Temos que atentar para guardar distância dos amigos negativos e infelizes permanentes, pois a infelicidade também contagia.

Uma pessoa infeliz tem 7% de chance de passar a infelicidade adiante, ao passo que a pessoa feliz tem 9% de chance contagiar com a sua felicidade.

Ter muitos amigos é bom, mas muitos amigos infelizes é ruim.

Como regra geral, esteja perto das pessoas felizes, contagie e se deixe contagiar.

R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Please be polite. We appreciate that.
Your email address will not be published and required fields are marked