Saboreie a vida.

Não fique tão distraído e saboreie a vida em todos os aspectos. Caso você sinta que não está saboreando a vida, diminua a velocidade.

Se imagine trafegando numa rodovia dentro de um veículo em alta velocidade. É bastante provável que você não consiga perceber os detalhes da paisagem, o caminho, a beleza da natureza.

Por outro lado, se você reduzir a velocidade, vai perceber coisas que não estava percebendo, detalhes preciosos que estava perdendo do seu trajeto. Assim acontece com a nossa vida.

Quando estamos correndo, agenda cheia, mil compromissos, nos perdemos no tempo e no espaço, e perdemos a riqueza da vida.

Saborear a vida:

Temos que saborear a vida. Quem passa pela vida correndo, não vai se lembrar do que viveu.

Quem é que para ajudar alguém no meio da correria, e veja que privilégio poder ajudar, fazer a diferença.

Viva o momento. Faça as coisas de maneira compenetrada, saboreando cada detalhe, cada gesto, cada desdobramento.

Antecipe na sua mente as coisas boas que estão por vir.

Bons momentos:

Rememore os momentos bons do passado.

Sabemos que os momentos negativos são fixados na nossa memória com mais vigor. Está na nossa condição genética, e para isso temos que fazer um esforço adicional para resultar numa memória equilibrada entre mais e menos.

A busca desenfreada pelas realizações materiais, condições sociais e status é um limitador para a vida plena, saboreada sem desperdício. Dizem mesmo que o dinheiro dificulta saborear a vida como se deve.

Prolongue os momentos felizes, registrando na memória física ou cerebral os detalhes, as nuances. Converse com os amigos, aprecie conjuntamente os preciosos momentos.

Se estiver sozinho, registre, escreva, não deixe passar em branco.

R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta