Sabe de ti e te liberta.

Vivemos a vida dos outros, seguimos a turba, nos relacionamos com uma rede social sem identidade.

E a nossa vida, onde se encaixa?

Saber de si mesmo, conhecer o que queremos, o que nos move é fundamental.

Muitas vezes vivemos numa esteira hedônica sem sentido, e portanto, escravo num mundo que não é nosso, um mundo artificial.

Tentamos controlar a vida dos outros, impondo a nossa vontade, o nosso ponto de vista e o nosso julgamento, enquanto a nossa vida segue à deriva.

A própria vida:

Temos que cuidar da própria vida. Temos que assumir o manche na nossa aeronave, o timão do nosso navio.

Parece fácil e até evidente, mas fazemos bem o contrário.

O fácil mesmo é cuidar da vida dos outros, fazer fofoca, julgar e criticar. Não tem qualquer repercussão na nossa vida, é um ato inconsequente e até irresponsável.

Por outro lado, cuidar da própria vida tem consequências. Temos que pensar com cuidado, fazer escolhas, tomar decisões com consequências diretas no nosso rumo. Isso dá trabalho e não é indolor.

Por esse motivo, escolhemos deixar à deriva, no rumo das redes sociais, da moda, e solta no vento

O sentido:

Onde está o sentido disso?

Será que vamos nos sentir realizados quando chegarmos na reta final?

Saber da sua própria vontade e realizar coisas que faz sentido para você é uma das coisas mais importantes.

Quantas vezes nos damos conta, ao cabo de uma empreitada, de que não era isso que eu queria.

Se deixarmos ir no piloto automático, vamos ter essa impressão todo momento.

Temos que olhar lá no fundo de nós mesmos e descobrir o que provoca o brilho em nossos olhos, o que faz o nosso coração bater mais rápido, o que nos traz aquele calafrio de realização.

Quando reconhecemos esse rumo, estamos olhando para a nossa própria bússola, e o barco não está à deriva.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta