Reaprendendo a amar.

Estamos sempre reaprendendo a amar.

Relacionamentos são fenômenos um tanto complexos, e podemos nos perder facilmente em invejas, ressentimentos e culpa. Por vezes, as agressões verbais em meio ao estresse afastam e nos afastam das pessoas mais queridas. Temos que fazer alguma coisa, tomar alguma providência inteligente – reaprender a amar.

O que já aprendemos, podem reaprender, não há segredo algum, mas é preciso vencer algumas barreiras.

Quando seguimos por um bom período nos maltratando, criamos uma barreira à reaproximação. Vencer esta barreira exige um bocado de coragem e humildade.

Funciona como o músculo que já foi bastante exercitado e requisitado, mas o sedentarismo aplicou uma penalidade pesada.

Ele já não responde, e quando solicitado, reclama de dor e no final, acaba virando um sofrimento.

Sinais de amor nos gestos:

Temos que reaprender a apresentar os sinais de amor nas mínimas interações, nos pequenos gestos, assim como se estivéssemos exercitando um músculo em ritmo de fisioterapia. Podemos até chamar isso de fisioterapia das emoções, trazer os movimentos corretos, continuados e progressivos, até que a sua capacidade de amar volte à desenvoltura antiga dos bons tempos. Um passo de cada vez, começando com iniciativas bem pequenas, e tudo vai acabar bem.

Não se preocupe em encontrar o caminho certo, é como andar de bicicleta, a memória muscular está lá, as emoções encontram o caminho virtuoso, e quanto mais se faz, mas se faz bem.

Assim como temos recomendações para quem se exercita, hidratação, sono regular e boa alimentação, há uma recomendação valiosa também para quem vai passar por uma reaprendizagem do amor.

O perdão tem que tomar lugar logo no princípio – não dá para amar se o palco dos seus sentimentos só tem lugar para raiva, ressentimentos e culpa. Comece perdoando os pequenos incidentes, as coisas realmente sem importância. Pratique consigo mesmo, se perdoe e se libere de tanta carga inútil que vive carregando.

Não faça fofoca sobre do relacionamento de uma pessoa com outra pessoa, evite se aproximar quando a raiva for muito grande, respire fundo antes de qualquer coisa e afaste qualquer contaminação que ameace o relacionamento.

Não desanime quando suas investidas repletas de amor e perdão encontram uma parede espinhosa.

O final da história é sempre feliz.                                                                                              R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta