Reações desproporcionais

Reações desproporcionais

Pare de reagir a tudo que te acontece. Aja com mais serenidade e baixe o seu nível de estresse.

Você não precisa reagir a tudo que acontece, especialmente da maneira exagerada que você faz.

Nem tudo que acontece exige que você faça algo a respeito. Você não precisa responder a tudo que é dito, nem fazer de tudo para que a sua opinião seja conhecida.

Há ocasiões onde cabe simplesmente ouvir e assimilar, sem julgar, criticar ou se estressar.

Olhe para o seu comportamento e aprenda a diferença entre agir e reagir.

Autonomia:

Perceba a sua autonomia e vontade própria na ação. Dê uma resposta e aja privilegiando uma ponderação mais racional e razoável.

Perceba o que acontece com a autonomia e vontade própria quando é uma reação.

Quando agimos, estamos mais no controle da nossa vida. Quando reagimos, estamos sendo comandados por algo externo. Dependendo da maneira como reagimos, estamos sendo joguetes de outras pessoas e situações.

Nessas situações, é sempre conveniente analisar se cabe uma reação. Pense por momento se você quer ser objeto da manipulação dos outros.

Se for reagir, escolha a sua atitude, escolha a sua reação, calibre os seus pensamentos. Avalie com calma e pense numa resposta e uma ação que tenha relação com o que você pensa.

Importante aqui é o equilíbrio, a autonomia e a independência emocional.

Não conceda o controle da sua ação/reação a outros – não seja uma marionete

Vale citar Viktor Frankl na sua famosa obra – O Homem na Busca de Sentido – onde o autor afirma que o homem deve preservar a sua liberdade espiritual e a independência de pensamento, mesmo nas situações mais difíceis.

Quando estamos estressados, em crise, no meio da tempestade, somos presas fáceis à manipulação dos outros, pois reagimos sem pensar, no calor dos acontecimentos.

Respire fundo, conte até dez, e aja de maneira proporcional aos problemas que está enfrentando.

Rubens Sakay (Beco)

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta