Quero parar de me censurar.

Porque será que me critico tanto?

Quero abrandar a minha autocrítica e me liberar mais para as coisas que penso, desejo e quero fazer.

Sei que há oportunidades por trás dos problemas, mas precisa calar um pouco essa voz interna crítica e intensa.

Quando deixamos a autocrítica dominar, as boas ideias e soluções são eliminadas no nascedouro. Nem bem começamos a atinar sobre elas e elas desaparecem.

Acreditar:

Preciso acreditar mais na minha capacidade, e uma boa maneira de exercitar isso é repassar na memória as ocasiões onde as coisas deram certo.

Muitas situações aconteceram na minha vida onde fui capaz de ouvir a minha intuição, raciocinar com serenidade e elaborar ações e soluções para os meus problemas. Sei que sou capaz e não devo me esquecer disso.

Outro ponto importante para aplacar a autocensura é parar de me comparar com os outros.

As pessoas são diferentes e mais do que isso, as circunstâncias também são diferentes.

Cada um caminha na sua velocidade, e está tudo bem.

Fazemos o que damos conta, e está tudo bem.

No final somos felizes com o que construímos, realizamos e com a pessoa que nos tornamos.

A autocensura é uma sabotagem que aplicamos em nós mesmos.

Nem bem damos a largada para uma maratona e já estamos nos censurando – você não é capaz – você não vai conseguir.

Podemos fazer muito:

Podemos concluir bem as tarefas e ainda assim se sentir incapaz, incompetente.

A autocrítica vem de mãos dadas com o perfeccionismo, e igualmente pode te levar a muita frustração.

As pessoas com esse tipo de comportamento exageram as exigências que a sociedade faz sobre elas, e dizem os psicólogos que demonstram isso já na infância com relação às demandas dos pais.

Quem tem filhos pequenos deve atentar para isso.

Dizem também que a autocensura, assim como a vergonha é a raiva virada para dentro, voltada para si mesmo.

Algumas dicas que aprendi e que pode ajudar nessas situações.

Ao analisar os resultados, não saia se condenando, olhe honestamente para as circunstâncias – pode não ser culpa sua.

Não estabeleça metas que não consegue cumprir. Vai ser sempre um estresse e frustração ao final.

Analise os eventos nos detalhes, e se houve falha sua, muito bem. Está aí uma oportunidade de aprendizagem e de crescimento.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Please be polite. We appreciate that.
Your email address will not be published and required fields are marked