Quero diferente

Querer que as coisas sejam diferentes, e uma permanente insatisfação com os resultados e o caminhar da vida não me parece uma atitude saudável, pois afasta a felicidade.

Nada parece estar bom, e nunca estamos satisfeitos, nem consigo mesmo. Sempre achando que poderia ter dado mais duro, poderia ter conseguido um pouco mais, tudo isso nos tira a chance de aproveitar o que há, o que a vida nos oferece.

Sempre está faltando alguma coisa. Sempre falta um pouquinho para ficar bom de verdade.

É uma predisposição para estar sempre infeliz e insatisfeito com a vida.

Isso pode ser um hábito negativo que merece ser trabalhado.

Experimente mudar com um pequeno passo.

Numa determinada situação, ocasião ou evento, visualize o que há para ser apreciado e esboce a seguinte frase: acho que está bom – gostei.

Saboreie a vida:

Faça isso começando em alguns eventos e passando para mais e mais situações.

Você vai notar uma mudança enorme no seu humor, na sua felicidade.

De repente, a vida fica mais colorida. Os amigos parecem mais amigos e a família mais unida.

Até o trabalho chato, enfadonho e pouco remunerado começa a mostrar algumas qualidades.

Especialmente no relacionamento amoroso, o sabor parece voltar. É como se tivéssemos saído de um estado de coma emocional.

De repente começamos a ver o lado positivo da vida.

Não é uma historinha de mágicos, duendes e feitiços. Na realidade, este circulo virtuoso se estabelece quando nos determinamos a apreciar a vida tal qual ela é, mesmo que nem tudo seja como sonhamos e imaginamos.

Eu mesmo gostaria que as coisas fossem diferentes em muitos setores da vida, mas percebo a abundância e a graça que é a vida exatamente como ela é hoje.

Hoje, quero conservar a minha capacidade de me contentar com a vida, sem conformismo, e com profunda noção de realidade.

R.S. Beco

1 Comentário

Aryadne Borges

about 5 anos ago

Boa noite Sr. Rubens, É bem provável que o Sr. já tenha lido este texto de Arnaldo Jabor, mas como eu o achei muito interessante, achei por bem lhe repassar. Segue: A Lei do Caminhão de Lixo (por Arnaldo Jabor) Um dia peguei um táxi para o aeroporto. Estávamos rodando na faixa certa quando um carro preto saiu de repente do estacionamento, direto na nossa frente. O taxista pisou no freio bruscamente, deslizou e escapou de bater em outro carro... foi mesmo por um triz! O motorista desse outro carro sacudiu a cabeça e começou a gritar para nós nervosamente, mas o taxista apenas sorriu e acenou para o cara, fazendo um sinal de positivo. E ele o fez de maneira bastante amigável. Indignado lhe perguntei: 'Porque você fez isto? Este cara quase arruína o seu carro, a nós e quase nos manda para o hospital?!?!' Foi quando o motorista do taxi me ensinou o que eu agora chamo de "A Lei do Caminhão de Lixo." Ele me explicou que muitas pessoas são como caminhões de lixo. Andam por aí carregadas de lixo, cheias de frustrações, de raiva, traumas e desapontamento. À medida que suas pilhas de lixo crescem, elas precisam de um lugar para descarregar e às vezes descarregam sobre a gente. Nunca tome isso como pessoal. Isto não é problema seu! É dele !!! Apenas sorria, acene, deseje-lhes sempre o bem, e vá em frente. Não pegue o lixo de tais pessoas e nem o espalhe sobre outras pessoas no trabalho, em casa, ou nas ruas. Fique tranquilo... respire E DEIXE O LIXEIRO PASSAR. O princípio disso é que pessoas felizes não deixam os caminhões de lixo estragar o seu dia. A vida é muito curta, não leve lixo com você ! Limpe-se dos sentimentos ruins, aborrecimentos do trabalho, picuinhas pessoais, ódio e frustrações. Ame as pessoas que te tratam bem. E trate bem as que não o fazem. A vida é dez por cento do que você faz dela e noventa por cento da maneira como você a recebe. Abraços Aryadne Borges.

Responder

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta