Quanto mais conheço as pessoas, mais gosto dos meus- blá – blá – blá….

Os relacionamentos são processos complexos.

As pessoas vão nos magoar um dia, por mais que nos amem.

Devemos aceitar, entender e perdoar.

Nos ensina o Dr. Fred Luskin, que: “ quem quer se envolver somente em relacionamentos que possa controlar, deve desistir das pessoas e encher a casa de animais de estimação”.

Também não é dar uma de capacho, excessivamente condescendente, aceitando todo tipo de maus tratos.

Devemos sim exercitar a tolerância nos relacionamentos.

Comportamentos indesejados, mas insignificantes devem ser relevados, pois nós também os cometemos sem perceber.

Quando perdoamos e relevamos, decidimos não aceitar o bônus de sofrimento que vem com o ato em si.

Não é dizer que não tem importância. Tem importância sim, não gostei, mas vou relevar e perdoar, porque não quero sofrer por tão pouca coisa.

Algumas pessoas gostam a citar a célebre frase: quanto mais conheço as pessoas mais gosto dos meus cachorros.

Eu tenho dois cachorros e os adoro.

Escolher o convívio dos animais ao das pessoas é uma simplificação patológica.

Somos humanos, somos sociais e precisamos da interação com as outras pessoas.

Uma pessoa criada na selva com os macacos e que cresce pleno dos seus sentimentos e valores é algo para Hollywood.

Os animais, muito embora possuam a capacidade da ressonância límbica, são bastante limitados no relacionamento com os humanos.

É bom gostar dos animais.

É melhor gostar das pessoas.

Beco

2 Comentários

Camila

about 5 anos ago

Adorei o seu texto! Procurava por um texto que tratasse dessa comparação tão equívoca, ao meu ver, e que propusesse, corajosamente, uma descontrução desse fenômeno.O seu raciocínio desalienado ultrapassou as camadas vagas do senso comum. Precisamos ser mais coerentes ao citarmos certas frases como aquela, pois o seu fundamento é muito vago. Eu amo os animais irracionais. Não posso afirmar quem é mais evoluído, não me atrevo, mas prefiro comparar cada um entre cada um, não faz sentido fazer o contrário. Os animais são seres maravilhosos dentro de um contexto, o qual nossas limitações nos levam a entendê-los e admirá-los. Dentro do contexto dos seres humanos torna-se mais sensato comparar as pessoas com pessoas. Frente às diversidades culturais, às tolerâncias entre essas culturas que devemos praticar e outras questões tão amplas que permeiam as relações humanas, a comparação entre as ''pessoas'' já implica numa complexidade que eu admito não poder fazê-la, hoje. Reforço, amo os animais, admiro os seus protetores e os que lutam por eles arduamente. A interação entre humanos e cães, por exemplo, é um fenômeno incrível. Apenas ou não apenas, proponho maior reflexão sobre alguns pensamentos, não é simples, mas é fundamental para que possamos conviver melhor com o outro, no qual, encontramos, se estivermos dispostos a procurar, nós mesmos.

Responder

Antonio M.

about 3 anos ago

Quanto mais eu amo o ser humano menos eu gosto de cachorro!

Responder

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta