Proteger ou controlar.

Muitas vezes pensamos que estamos tentando proteger os outros, quando na verdade estamos tentando é controlar.

Qual a diferença?

Quando estamos empenhados em controlar os outros, perdemos o foco no próprio crescimento.

Estamos mais preocupados em obter uma concordância, afirmar um ponto de vista.

Respeite os outros:

Repetimos muitas vezes a mesma coisa, e isso é o principal sintoma de que quero controlar.

Não deixo espaço para as pessoas expressarem suas opiniões e contarem suas experiências.

Estou mais preocupado em contar a minha história e menos ávido por aprender com as histórias alheias.

Eu quero controlar os outros.

Eu sei o que é bom para os outros.

Eu sei a maneira correta de se fazer.

Eu sei a palavra certa, o conceito preciso, eu tenho a verdade.

Nada disso vai ajudar ninguém.

Crescimento:

E o pior, é que isso me afasta do meu caminho, da minha jornada.

Mas eu posso ajudar, posso proteger. E há momentos em que as pessoas precisam de certa proteção.

Estar junto é dar proteção.

Estar pronto para ouvir e compreender, é proteger.

Abraçar e apoiar, é proteger.

Ter uma palavra de compreensão, exercitar a compaixão, é proteger.

Ajude os outros:

Não devemos nos empenhar em consertar as pessoas, mas apoiar para que elas próprias se consertem.

As dificuldades podem ser parecidas, mas as reações das pessoas são diferentes. E mais, o esforço que cada um faz para vencer a mesma barreira, certamente é diferente.

Não podemos tudo, mas podemos ajudar.

Podemos nos esforçar para dar um pouco de proteção.

Rubens Sakay (Beco)

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta