Preenchendo o vazio que ficou.

A vida pode nos deixar um vazio inesperado e temos que nos movimentar para preencher.

Pode ser pela perda de alguém, um casamento desfeito, um plano que foi por água abaixo.

A vida que segue, temos que levantar a cabeça e continuar preenchendo o mosaico da vida, trazendo experiências virtuosas e lições valiosas para a nossa história.

Especialmente quando falamos de perdas, e isso é uma experiência particular de cada um, devemos fazer uma introspecção para enxergar uma maneira de transformar cada evento.

Sair da imobilização:

Sair da imobilização que tal perda nos impõe pode ser particularmente difícil, deixe isso acontecer na sua velocidade, mas não adie indefinidamente.

A dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional. Podemos sim minimizar o sofrimento, e isso é importante para continuarmos tocando os nossos projetos.

A vida só acaba quando acaba, enquanto isso, temos coisas para realizar.

Nos tempos de penúria, a melhor coisa a fazer é ajudar os outros, quem precisa, quem não tem.

Ajude o outro:

Isso pode parecer um paradoxo, pois nós que estamos em sofrimento, precisando de ajuda, vamos agora ajudar?

Mas é isso mesmo, ajudar ajuda mais que está ajudando.

Temos a impressão que estamos ajudando, mas somos nós que estamos tirando o maior benefício.

Se ocupe, repasse a sua lista de projetos inacabados ou adiados e adote um deles para se entreter.

Quando ficamos sem ocupação, prostrados, a nossa mente tem uma tendência natural de se conectar a pensamentos negativos, prolongando o sofrimento e a inanição.

Pense no futuro e pense no seu bem. Vislumbre alguma coisa boa acontecendo contigo e se transporte para o momento da realização e comemore.

Nos eventos positivos, a antecipação é profundamente benéfica.

Procure coisas para te colocar para cima, escolha ser feliz, e faça alguma coisa nesse sentido.

R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta