Porque estamos tão furiosos?

Há momentos que ficamos furiosos, estressados, perdemos a calma e nem bem sabemos o que está acontecendo.

Precisamos dar uma parada.

Precisamos respirar fundo e procurar a causa para tudo isso.

Muitas coisas podem nos tirar do sério, e é preciso prospectar fundo, com bastante honestidade para chegar à raiz de tanto estresse.

É quase como uma terapia consigo mesmo, embora a ajuda de um profissional seja sempre bem-vinda.

Tempestade em copo d’água:

Podemos estar amplificando coisas sem tanta importância, e isso é um processo que temos que interromper.

Fazer tempestade em copo d’água não é bom para ninguém, como já comentamos aqui.

Quando estamos extremamente irritados, devemos evitar algumas coisas, como por exemplo, sair dirigindo em disparada e perigosamente. Você vai colocar em risco os outros e a si mesmo.

Não devemos agredir os outros física ou verbalmente, pois podemos nos arrepender depois.

Se bem que ventilar alguma coisa que está engasgada há muito tempo não é tão ruim, enfim, se tiver que dizer alguma coisa, diga.

Engolir a raiva não é bom para a saúde, e você deve pesar bem se deve ou não liberar ou conter.

Há sempre a discussão sobre extravasar ou não, o fato é que muitas vezes extravasamos sem mesmo saber o que está nos incomodando, fazemos de maneira inconsciente e isso não vai resolver nada.

Estresse:

O estresse é cumulativo, e uma coisa leva a outra, e de repente, estamos carregando raiva de um canto para outro.

Temos que interromper esse círculo vicioso.

Respire fundo e busque na meditação um pouco de serenidade.

Converse com alguém até para calibrar essa raiva.

Uma pessoa de fora pode logo notar se você está exagerando, ou deixando uma coisa contaminar outra e assim por diante.

A raiva nasce e morre dentro de você mesmo, e tem a ver com a sua maneira de ver as coisas.

Mas nós achamos o contrário, e é por isso que nos damos mal. Achamos que a causa é externa e saímos chutando o pau da barraca, derrubando e entornando o caldo.

É preciso uma boa reflexão para aplacar os pensamentos negativos que alimentam a raiva.

É um trabalho intelectual e reflexivo para colocarmos as emoções no lugar, sem abafar, ou eliminar.

A percepção e aceitação dos pensamentos negativos é o primeiro passo para evitar que eles te dominem.

Beco

1 Comentário

Liliane Silva

about 5 anos ago

Feliz por ter vindo aqui a esta hora, sempre um conforto, um alerta estou passandopor um momento parecido com este e fico com a cabeça atordoada. Sou ao extremo e acabo enaltecendo em momentos coisas que seriam indiferentes em outras ocasiões. Obrigada novamente pelas belas palavras

Responder

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta