Permita a plasticidade virtuosa do cérebro.

A plasticidade do nosso cérebro é dependente das experiências que vivemos.

O cérebro que temos é o cérebro que vivemos. Portanto, procure vivenciar profundamente as boas experiências, saboreie e traga para dentro de si, as boas ocorrências.

Não fuja da luta, vença os desafios e faça com que as valiosas lições da vida fiquem bem gravadas na sua mente.

Se você aproveitar plenamente tudo de bom que ocorre contigo, vai usufruir de uma estrutura neural saudável.

Junte as coisas boas com as negativas, sempre com o cuidado de colocar no pacote mais positivas que negativas, e deixe que as positivas temperem para o bem, tudo que tem acontecido contigo.

A vida é boa:

A vida é boa, a despeito de ser dura, repleta de curvas acidentadas e algumas cascas de banana.

A vida é abundante, mas é preciso estar aberto para perceber, em cada minúcia, uma beleza, uma alegria.

Quem nunca reencontrou uma amiga de longa data, um encontro casual na rua do comércio, uma conversa ligeira, troca de telefones, uma mini-atualização de tudo que ocorreu nesses quarenta anos, e você traz no palco da memória tantas coisas boas que vivenciaram – pode até ter ocorrido um namorico quando tinham ambos dez anos de idade.

A vida é o que lembramos que vivemos. Cultive as boas lembranças, e recorra a elas ocasionalmente, tanto para se socorrer dos turbilhões mentais, quanto para reforçar e consolidar as coisas boas do passado.

Sempre vamos minerar, no nosso cérebro, os diamantes do passado, e para que isso seja mais fácil, temos que favorecer a busca, ao deixar quase à mostra, tudo de bom que vivemos. Favoreça a plasticidade do seu cérebro. Trabalhe a favor de uma estrutura neural virtuosa e abundante.

Você pode usar alguns gatilhos para fazer essa mineração do passado. Escolha um período da sua vida, aqueles anos que trabalhou no banco, ou os anos que esteve na universidade. Nesse período específico, traga para o palco, algumas pérolas, aquilo que lhe dá uma satisfação enorme de relembrar – passeie por essa lembrança.

Tudo passa por saborear plenamente a vida, em todos os aspectos, é o que nos ensina o dr. Fred B. Bryant professor da Universidade de Chicaco-Loyola, no seu livro “ Savoring: A new model of positive experience”.

R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta