Perdoe as pessoas.

Perdoe as pessoas, não com o espírito poderoso, olhando de cima para baixo, mas olhando de igual para igual. Perdoe sem ressentimentos. Perdoe pra nunca mais se lembrar disso. Lembre-se que você não é perfeito, e vai cometer suas asneiras também, e vai gostar que te perdoem, sem ressentimentos.

Trabalhe o ressentimento e a dor que lhe foi imposta.

Isso não quer dizer que você vai aceitar o que te foi imposto como uma coisa boa, uma coisa correta.

Reconheça a dor e o sofrimento para começar a perdoar.

Dê importância à dor e ao sofrimento para deixar ir, deixar passar.

Isso é perdoar.

Não é negar.

Não é engolir.

É dizer não para as memórias do ocorrido não te assombrarem no futuro.

É não deixar que o ocorrido siga te magoando.

Não é dar uma de prepotente – minimizando o fato (o que vem de baixo não me atinge).

Tampouco é se fazer de capacho, se colocando por baixo. Isso não é perdoar, é justificar o seu sofrimento pela suposta posição de inferioridade.

Se levante. Olhe a coisa de igual para igual

Perdoar te liberta da dor, da carga, e te permite ser feliz.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta