Perdoe a si mesma

Perdoe a si mesma

Pratique o perdão, especialmente aquele dirigido a si mesma.

Procure se perdoar, e se tratar com muito carinho.

Sabemos que é mais fácil perdoar os outros do que perdoar a si próprio.

Porque será?

O auto-julgamento que fazemos das nossas falhas é massiçamente bombardeado pela voz interna, crítica e severa, que cobra de nós uma perfeição além dos limites.

Algo estranho que acontece conosco, é o fenômeno da auto-indulgência. É como se guardássemos a falha, a culpa e o sofrimento, como um escudo para evitar futuros sofrimentos.

Seja específico:

Uma recomendação interessante que aprendi, é sobre ser específico quando estamos tentando nos perdoar.

Assim como nos julgamentos usuais nos tribunais, as observações são específicas e pertinentes. Nesses casos, os crimes são julgados um de cada vez.

Quando embolamos uma porção de coisas que fizemos e que nos arrependemos, fica difícil perdoar. Parece que é muita coisa para perdoar – difícil.

Perdoe uma coisa de cada vez.

A mania de perfeição também é um complicador. Queremos ser perfeitos, e julgamos ser perfeitos. O que prejudica o auto-perdão.

Pode parecer estranho. Estar descontente consigo é diferente de se odiar pelo que passou. Não seja tão dura consigo mesma e imagine que está analisando uma outra pessoa.

Aplique o mesmo rigor que você aplica aos outros e vai ver que pode ficar mais fácil.

Aprenda a gostar mais de si próprio. Pare de perguntar o que há de errado com você?

Ninguém é perfeito e todos nós estamos sujeitos a errar de vez em quando. Se perdoe com mais freqüência.

Não queira se punir indefinidamente. Ao identificar um erro, uma falha, o melhor que podemos fazer é tirar uma lição e seguir adiante.

Não jogue para si a responsabilidade que cabe aos outros.

Assuma apenas a sua parte, e procure ser uma pessoa melhor, um dia de cada vez.

Rubens Sakay(Beco)

1 Comentário

Elisabete

about 3 anos ago

Linda mensagem! Me fez muito bem...obrigada.

Responder

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta