Pegar emprestada a vida de alguém.

Viver a vida emprestada de alguém é um total desperdício.

Só temos uma vida. Temos que realizar o nosso projeto. Temos que dar significado à nossa existência.

Depois que caminhamos por longo tempo o caminho do outro, nem mais nos reconhecemos.

Quando olhamos a vida do nosso vizinho bem realizado financeiramente, imaginamos como ficariam os seus sapatos nos meus pés.

Muitas comparações:

Como seria dirigir o seu carro. Como seria morar naquela casa luxuosa.

Analisamos a carreira bem sucedida do amigo e imaginamos o que seria ganhar um salário tão polpudo.

Tantas viagens para o exterior, luxo, compras, e imaginamos fazendo tudo isso no lugar do outro.

Isso tudo é pegar a vida emprestada do outro.

E a nossa própria vida?

E os nossos interesses e preferências? Onde ficaram? Ficaram esquecidas?

Um olhar permanente na vida do outro é nenhum olhar para a própria vida.

Conversa consigo mesmo:

Está faltando aquela velha conversa consigo mesmo, as mesmas perguntas – este caminho está me levando para a minha realização? – para mim faz sentido isso tudo que estou fazendo? – tudo isso está me fazendo mais feliz?

Vale sempre fazer uma lista daquilo que realmente te traz felicidade.

Você vai descobrir que os relacionamentos ocupam um lugar constante nos itens dessa lista.

Não perca de vista essa lista, e de tempo em tempo, leia e se dedique a algum item da lista.

Não é produtivo correr atrás de todos os itens de uma vez – um item de cada vez – um dia de cada vez.

Quando colocamos a nossa atenção na nossa lista – nos realizamos – nos sentimos mais felizes.

Quando colocamos a atenção na lista do outro – nos decepcionamos – nos culpamos – nos ressentimentos – ficamos infelizes.

Me lembro quando jovem, de ter ido para uma prova de escola, tendo estudado a lição errada – que desastre.

Imagine chegando para a prova final, descobrindo que viveu a vida errada – a vida do outro.

A vida é uma só, e mesmo que haja outras, essa oportunidade não voltará jamais.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta