Pare para apreciar a vida.

Pare um pouco para apreciar a vida. A felicidade pode não estar no objetivo distante que você insiste em perseguir, mas aqui, agora, na sua frente. É preciso parar para apreciar. É preciso se dar tempo para si mesmo, ou a vida, que é única, será totalmente desperdiçada.

Entendo que a agenda de todo mundo é uma correria, sem contar os afazeres do lar, pagar as contas, se desvencilhar da burocracia que o mundo moderno nos impõe.

Mas tudo isso não pode servir de desculpa para não viver uma vida plena. Ao final da sua vida, nem você mesmo vai engolir essa desculpa.

Saboreie a vida já:

Não adie para saborear a vida quando ficar mais velho e as reservas financeiras ficarem mais polpudas. Pode não dar tempo, o jogo pode terminar antes disso.

Reduza um pouco a velocidade da correria, pois pode ser o bastante para algum prazer concreto.

Dê uma parada para se olhar no espelho, olhar para si próprio, o bastante para perceber o quanto tem negligenciado a si mesmo.

Há ocasiões em que chegamos ao final do dia esgotados, agenda maluca, compromissos desgastantes, e a sensação é de que não fizemos nada. Na verdade, muita coisa foi feita, mas é inevitável experimentar essa sensação quando não estamos efetivamente apreciando a vida, estamos rodando no piloto automático.

O prazer de viver foi esquecido. A beleza dos momentos passou totalmente despercebida.

Isso simplesmente não faz sentido.

A vida é isso?

Será que a vida é isso aí? Correr para resolver os problemas, conseguir um pouco mais de dinheiro, comprar coisas, comer e dormir?

Uma boa recomendação é passar um dia inteiro fazendo uma ou outra coisa que lhe dá imenso prazer, e só isso. Aproveite um dia de folga para tal experiência. Você vai logo sentir aquele comichão, aquela inquietação de coisa parada, improdutividade. Deixe esse sentimento passar, ignore apenas por esse dia, e siga fazendo nada, ou quase nada.

Pare para apreciar as coisas mais simples que a correria te proibia. Uma flor, a brisa fresca da manhã, a alegria dos familiares por coisas tão bobas e pequenas.

Se deixe contagiar por pequenas alegrias. Com o tempo você vai se habituar a fazer isso, dando pequenas paradas e desaceleradas na correria do cotidiano.

R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta