Pare de julgar os outros

Não saia julgando, criticando ou condenando os outros. Não queira fazer o papel de Deus, tire essa carga dos ombros e caminhe com mais leveza.

Temos o péssimo costume de julgar os outros com a mesma rapidez que olhamos as horas no relógio. Nem bem percebemos a outra pessoa e já temos algum comentário crítica de suas vestes, sua idade, seu modo de caminhar.

Experimente desativar o seu aparelho julgador por um tempo e se dê conta da leveza e da alegria que é não ter que julgar todo mundo.

Um pouco de cada vez:

Pode parecer difícil no primeiro momento, mas experimente fazer da seguinte maneira. Ao perceber que está julgando o motorista do ônibus, um colega de trabalho, e que esse pensamento crítica salta na sua frente imediatamente, procure substituí-lo imediatamente por outro positivo.

Calibre o seu olhar para atributos positivos e não negativos. Deixe de comparar uns com outros e não estabeleça um padrão de perfeição contra o qual vai avaliar todo mundo.

Quando paramos de comparar e julgar os outros, não só percebemos a beleza das pessoas, suas qualidades, mas também nos sobra tempo de sobra para olhar para si mesmo, suas próprias qualidades.

Quem tem o olhar apenas para coisas negativas, vai fazer o mesmo consigo próprio. Assim estará sempre se julgando, criticando e é inevitável que a culpa acabe se estabelecendo.

Sei que é natural que formemos uma opinião acerca das pessoas. O julgamento que fazemos dos outros é também uma proteção contra aproveitadores, delinquentes e criminosos. No entanto acabamos nos acostumando a julgar desmesuradamente.

Não temos necessidade nenhuma de julgar uma pessoa que cruza o nosso caminho no shopping, censurar o que comprou ou mesmo invejar.

Qualquer negatividade que escolher dirigir aos outros, causa um mal a nós mesmos.

Aquele que escolhe atirar brasas nos outros vai acabar com as mãos queimadas.                                                                                          Rubens Sakay (Beco)

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta