Pare de fingir.

Pare de fingir que sente quando não sente.

Pare de dizer que quer quando não quer.

A atitude de fingir causa mais desgaste emocional e físico do que ser honesto e verdadeiro.

Fingir e mentir pode acumular toxinas na sua alma.

No livro- Abra o Seu Coração – de James W. Pennebaker, descreve o quanto somos infelizes quando fingimos e mentimos, pois temos que fazer esse diálogo desonesto para nós mesmos.

O Prof. Pennebaker da Universidade do Texas estudou o que acontece com as pessoas quando mentem ou quando contam a verdade, utilizando os recursos eletrônicos de detecção de sinais físicos.

O estudo das narrativas e o impacto na saúde das pessoas lhe renderam quase uma dezena de livros, centenas de artigos e vários prêmios científicos.

Mentimos quando omitimos. Às vezes queremos nos proteger com mentiras, outras vezes tentamos impressionar as pessoas.

É uma questão de atitude. Temos que decidir como vamos nos comportar, e arcar com as conseqüências.

O comportamento desonesto te impõe uma imagem e um rótulo, você pode não ver, pois está na sua testa, mas todos estão enxergando e comentando.

E mais, o relacionamento é totalmente afetado pela atitude desonesta e mentirosa.

No fundo você está pregando uma peça em si mesmo.

A gente acaba se relacionando com pessoas do mesmo estilo de comportamento. Fique mentindo e fingindo e você vai ficar rodeado de pessoas do mesmo tipo.

Mentimos e fingimos também na tentativa de afastar o sofrimento, a calúnia, a vergonha ou outro tipo de desconforto.

Também quando manipulamos para algum interesse em particular.

Queremos encobrir alguma deficiência de caráter, ou enfatizar uma virtude que não temos.

Mentimos sobre o que não temos.

Colocamos azeitona na nossa empada, e muitas vezes a azeitona é de outros.

Às vezes fingimos e mentimos para tentar proteger alguém, que julgamos frágil e despreparada para a vida, o que é um sinal de prepotência.

Ao contrário, quando falamos a verdade, terminamos perseguimos aquelas virtudes que do contrário teríamos falseado.

A mentira nos mantém no estado de falsidade, e com isso, nos afasta do ímpeto de desenvolver as virtudes pois queremos convencer os outros e a nós mesmos que já as temos.

Toda vez que fingimos e mentimos, deixamos de tentar se livrar de algum defeito de caráter que temos, e máscara acaba se consolidando.

O estresse para manter o fingimento e a mentira é maior do que ser verdadeiro, assim demonstrou o Prof Pennebaker.

As pessoas vão parar de perguntar a sua opinião, pois sabe que contará uma mentira.

Mas um bom sinal, é quando você consegue se lembrar das mentiras que contou, é porque são poucas, e você está evoluindo, se tornando mais verdadeiro.

E uma recomendação adicional que já postei aqui: aceite a verdade.

Quem não agüenta a verdade, vai ter sempre a mentira.

Passe adiante.

Beco

1 Comentário

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta