Os sinais confusos do coração.

O coração tem um comando forte e muitas vezes sutil. As nossas emoções têm uma complexidade que não devemos desprezar nem descuidar.

Compreender os sinais que vêm do coração, sutis, e não raro confusos, é uma tarefa diária.

Sentimentos negativos, positivos, inflamados, exaltados, e não por isso deixam de ser genuinamente nossos.

Normalmente, os sinais confusos exigem paciência e calma, enfim, deixar a poeira das emoções se assentar.

Muitas vezes, deixamos tudo dormir uma noite, e de manhã, as coisas adquirem uma importância diferente.

As emoções:

O que pode parecer o caminho mais curto, deixar que as emoções dominem, acaba sendo um transtorno, revidamos desproporcionalmente os acontecimentos e prejudicamos os nossos relacionamentos.

Reconheça as suas emoções e também o impulso que elas apresentam para comandar as suas ações. Aceite o que está sentindo, e dê credito ao coração, e não mantenha tudo engarrafado e contido. É saudável expressar as emoções, mas faça isso de maneira construtiva. No calor dos acontecimentos, podemos facilmente enfiar os pés pelas mãos, e permitir que a fervura dos relacionamentos ultrapasse o limite razoável.

Avalie com objetividade o que está acontecendo, pois as emoções podem dar sinais equivocados, e acabamos confusos.

Sei que temos que fazer um esforço para fazer amigos e um esforço maior para mantê-los, mas às vezes o esforço acaba sendo unilateral, reflita se vale a pena investir tanto, sem retorno, sem contrapartida.

As emoções são parte inalienável do nosso ser, mas temos que cuidar para não sermos levados unicamente pelo balançar dos seus ventos. A razão tem que se apresentar, contrapor, ajudar, e em alguns casos, simplesmente assumir o timão.

Busque algum recurso para relaxar, uma meditação, exercício físico, ou escreva a respeito. Procure entender com muita calma o que se passa no seu coração.

Não coloque tanta energia em combater as emoções, especialmente quando eles se apresentam inflados e confusos.

Se dê um tempo, respire fundo e tudo vai se colocar no devido lugar.

Vá com calma e cuide de si com muita gentileza.

R.S. Beco

3 Comentários

Cláudia

about 3 anos ago

Tenho tido conflitos emocionais já há muitos anos no meio de meus familiares. Sempre levei tudo para um lado moderado para não me prejudicar. Mas atualmente cheguei a uma conclusão triste. Percebi que quando o outro lado nunca está disposto a compreendê-lo senão fazer somente o contrário, os conflitos não se resolvem, creio que a tendência é agravar, e é o que anda acontecendo comigo. Já perdi tôdas as expectativas de estabelecer um vínculo de convivência saudável com minha família. Meu coração não está confuso, está apenas cansado e massacrado. Se eu pudesse sumir de minha cidade e ir viver minha vida bem distante, acharia ótimo. Pena que as coisas na vida da gente não podem ser como agente deseja, então, fico por aqui assim, esgotada e exposta a ter que tolerar falsidades.

Responder

Beco

about 3 anos ago

Prezada leitora, Cuide de si mesmo, pois quanto mais nos preocupamos com os outros, menos rumo damos à nossa própria vida. Quando deixamos a chave da felicidade nas mãos dos outros, encontramos na verdade uma receita infalível para a infelicidade. Busque o crescimento pessoal, e esteja sempre satisfeita e feliz com a pessoa que está se tornando. Valorize os pequenos passos, seja mais gentil consigo mesma e fique com Deus. R.S. Beco

Responder

Suzy

about 3 anos ago

Acho que este belíssimo texto foi feito para mim

Responder

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta