Os relacionamentos pessoais profundos.

Sabemos que os relacionamentos pessoais são importantes, mas será que estamos dando a eles a devida atenção.

John Izzo realizou um estudo, entrevistando mais de duas centenas de idosos. Dentre as conclusões interessantes, uma tem a ver com os relacionamentos pessoais (em uma outra postagem vamos falar um pouco sobre John).

As pessoas que chegam ao final da vida felizes, dão graças aos relacionamentos pessoais profundos que foram capazes de cultivar.

As pessoas infelizes sempre se ressentem da falta de relacionamentos pessoais ao longo da vida.

Um deles comentou que passou a vida preocupado com os aspectos materiais, deixando os relacionamentos pessoais em segundo plano.

A sua BMW:

Ao final da vida, constatou que a sua BMW não vem visitá-lo no asilo.

Muitas pessoas se deixam atropelar pela agenda de trabalho e dos compromissos profissionais, negligenciando os relacionamentos, especialmente aqueles mais caros, a esposa, os filhos e familiares mais próximos.

Os amigos, aqueles com quem podemos contar em situações de real dificuldade são esquecidos até que a situação de penúria aparece.

O que está errado?

Se isso é tão evidente e claro, porque deixamos isso acontecer?

A lista:

Diz John que devemos fazer uma lista de poucas pessoas importantes na nossa vida, e buscar o contato com elas com determinação.

Vá assinalando na sua lista as pessoas que você conseguiu contatar – contar as coisas divertidas do passado, rir um bocado e reafirmar os laços de preciosa amizade.

Além do mais, as descobertas recentes da neurociência apontam para os relacionamentos pessoais como uma maneira poderosa de conservar a saúde mental.

Com a idade ficamos preguiçosos até para procurar os amigos. Nos isolamos, não interagimos e deixamos a porta aberta para demências de toda sorte.

Relacionamentos pessoais – não esquecer – dar importância – dedicar o seu tempo.

Beco

1 Comentário

Eliza Lima

about 6 anos ago

Muito bom, meu amigo! Nenhuma relação resiste ao abandono e você é um irmão que quero ter para sempre. Obrigada pelo livro. Obrigada pela contribuição. Fique bem.

Responder

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta