Os maiores obstáculos à felicidade

Os maiores obstáculos à felicidade

Falo muito dos obstáculos à felicidade, e tenho um material que está se transformando num futuro e-Book que devo disponibilizar gratuitamente. Leio muito sobre o que outros especialistas apontam como obstáculos, e recentemente ao ler uma postagem no blog budista – find happiness. Aprendi que um obstáculo à felicidade é enxergar apenas o problema em si, sem perceber que o maior problema está na nossa mente, na maneira como vemos as coisas. Isso é sem dúvida o principal insumo para a ruminação interminável que frequentemente fazemos quando estamos enfrentando um problema em particular.

É possível, portanto, resolver o problema simplesmente mudando a nossa maneira de pensar.

Diz o budismo que temos todos, dentro de nós, a fonte da paz e da felicidade. O que torna difícil fazer essa fonte aflorar, e permitir que a nossa vida seja dominada por ilusões.

As ilusões funcionam como um filtro negativo que distorce tudo que presenciamos, vivemos e pensamos.

Filtro negativo:

Esse filtro atribui o rótulo de mal às pessoas que nos contrariam e atribui a o rótulo de bom a todos os objetos que desejamos.

Nem as pessoas, nem as coisas são intrinsecamente boas ou más.

Quando limitados pelas ilusões, perdemos o contato com a realidade e ficamos permanentemente perseguindo miragens. No final ficamos desapontados, pois não nos trazem a felicidade esperada.

Quando olhamos os problemas com tranquilidade, sem rotulá-los como bons ou maus, eles assumem a forma de desafios. Assim  a capacidade de resolvê-los ou sobrepujá-los, nos parece mais factível em nossa mente.

Por meio da purificação da mente podemos evitar que os problemas, a infelicidade e as preocupações deixem de nos atormentar.

As coisas negativas que nos atormentam podem estar somente nas nossas mentes. Quando encaramos a nossa realidade com esse estado mental, podemos nos sentir incapacitados.

Se queremos transformar a nossa realidade e nos livrarmos dos problemas, devemos antes transformar a nossa mente.

Rubens Sakay (Beco)

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta