Os dons espirituais que surgem com a tristeza.

Uma perda, um rompimento são motivos mais do que suficientes para se sentir uma tristeza profunda.

Uma tristeza sentida com autocompaixão traz de dentro de nós, dons espirituais antes difíceis de se notar.

Quando estamos em sofrimento, tudo que precisamos é alguém que nos pegue no colo e nos embale.

A autocompaixão é a capacidade de fazer isso consigo mesmo, se acalentar, com grandeza e generosidade.

Lidar com o sofrimento:

Podemos seguir o caminho natural de sentir pena de si próprio, o que não é adequado, pois não diminui o sofrimento.

Sentir a dor, aceitar a circunstância de cabeça erguida e cuidar de si próprio com a atitude compassiva, nos permite refazer e seguir adiante.

A autocompaixão é a maneira de se relacionar consigo próprio de maneira serena e madura.

Gostamos de dizer que somos o nosso melhor amigo, e nas horas de sofrimento é que precisamos demonstrar isso.

Pega leve consigo mesmo nas horas de sofrimento. Seja gentil e cuidadoso.

Se trate como trataria o seu melhor amigo em sofrimento.

Nos parece evidente que as pessoas que cuidam melhor de si tendem a ser mais felizes, mas nem todos se preocupam adequadamente consigo próprio.

A professora Kristin Neff, pioneira no estudo da autocompaixão, comenta em artigo no New York Times, que as pessoas são capazes, sem qualquer esforço, em apoiar e encorajar adequadamente quando lidamos com as crianças em dificuldades. Por outro lado, quando nos encontramos na mesma situação, temos logo a tendência de nos tratar com negatividade e criticismo.

Diz ela que temos um traço cultural que nos impele para sermos fortes e portanto, duros consigo mesmo, o que nos limita de tratar a si próprio com compaixão.

Da próxima vez que sentir que está sendo muito dura consigo mesma, experimente a autocompaixão.

Beco

frase do dezembro

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta