Os dias que não quero rememorar.

Alguns dias do meu passado podem guardar lembranças tristes e dolorosas e é como se eu quisesse apagar da minha memória.

Tenho às vezes, um desejo de eliminar da minha experiência de vida.

Mas é uma expectativa totalmente irreal.

Tudo que passei, especialmente as experiências difíceis e dolorosas me fizeram o que sou, uma pessoa mais resiliente.

Tenho na verdade que sublimar essas experiências passadas.

Crescimento e maturidade:

Em alguns casos, tenho que me redimir. Tenho que perdoar a pessoa inexperiente e despreparada que eu era na ocasião.

Olhar para trás com serenidade e compaixão é a melhor coisa a fazer.

Gostamos de rememorar as passagens alegres da nossa vida.

Evitamos rememorar as passagens, pois não queremos nos entristecer, e nesse caso, a serenidade pode nos fazer esse bem.

A serenidade nos permite olhar o passado com a paz que precisamos para seguir adiante na nossa vida.

O passado:

Os fantasmas do passado não devem nos assombrar.

Os algozes do passado não devem mais nos amedrontar.

Águas passadas não movem moinhos, e os espinhos perderam o poder de nos ferir, mais do que já nos feriram.

Outro ponto importante é ter em conta que as experiências negativas do passado não se repetirão.

Não devo, portanto, ficar obsecado com o futuro, como se algo ruim estivesse nos esperando na esquina.

O futuro é melhor que qualquer passado, como escreveu Pier Pasolini.

Sou uma pessoa melhor do que fui no passado, mais preparado, mais generoso e mais aberto às lições da vida.

Mantenho ainda as habilidades que sempre tive, da persistência e dedicação, portanto, não tenho qualquer razão para temer o futuro.

Tenho que substituir essa inquietude com os dias que não quero rememorar, pelos dias maravilhosos que quero sempre comemorar.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta