Os algozes – meus professores.

Sei que ninguém faz isso, mas deveríamos agradecer àqueles que nos ameaçam e nos ferem, eles são nossos professores.

Quem impõe uma barreira às nossas ações, faz despertar em nós alguma capacidade escondida, ou nos ajuda a desenvolver alguma competência essencial.

Quando somos confrontados, contrariados e ameaçados, sentimos logo o sangue subir à cabeça, e toda a nossa capacidade ancestral de sobrevivência aflora em milissegundos.

Difícil não guardar rancor, ressentimentos, com algumas pitadas de culpa ou mesmo inveja.

Lição:

Mas depois que o incidente é passado para trás, devemos examinar o que aprendemos, pois sempre fica uma lição.

Se o resultado é positivo, uma lição aprendida, uma capacidade despertada, e mesmo a autoestima melhorada, deveríamos poder agradecer esse empurrão.

Se você não se sentir confortável agradecendo ao seu algoz, agradeça à Força Superior, agradeça ao Deus da sua crença.

Por vezes, não conseguimos identificar ninguém para por a culpa, nem a si próprio.

Nesses casos, há quem culpe o azar, os desígnios da natureza, enfim, algo está conspirando contra nós.

Acredite, também nesses casos, há uma lição para aprender e também uma oportunidade para expressar a gratidão.

Escola da vida:

Muita gente usa a expressão: escola da vida. Quer dizer que aprendemos todo momento, qualquer que seja a circunstância, principalmente quando ela ensejar uma dificuldade.

Acho que isso traduz muito bem o que é a vida, uma jornada plena de lições e aprendizagem.

E quando encaramos a nossa jornada dessa maneira, nos sentimos mais felizes e realizados.

Toda vez que você sentir o rosto enrubescer de raiva, tenha em mente que ao final, alguma lição valiosa é o que restará.

E se a aprendizagem for seguida de gratidão, você sairá de cada situação, fortalecido, confiante e realizado.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta