Onde foi que eu errei?

Errar é humano e devo aceitar isso.

Às vezes pagamos caro pelo erro, mas temos que enfrentar a situação de cabeça erguida e com serenidade.

Importante enxergar o crescimento e as lições que vêm com os erros.

Identificar o erro e aprender a lição para não cometer o mesmo erro é o bastante.

Buscar culpados ou se culpar indefinidamente não traz qualquer benefício.

Viva com alegria:

Em vez de luta e culpa, devo optar por desafio e alegria.

Você pode se desculpar – com dignidade de quem aprendeu a lição.

A maior perda de tempo é ficar se justificando pelos erros, e fazemos isso com muita frequência.

É importante identificar onde tropeçamos e não onde caímos. É fundamental entender a razão da queda.

É comum as pessoas incorrerem no mesmo erro sucessivamente. Hábitos inadequados e modo de pensar viciado por preconceitos e ideias equivocadas sobre a realidade respondem por muito desse fenômeno.

Se isso acontece com a gente, temos que trabalhar isso com diligência.

Não seja tão perfeccionista enxergando erros onde eles não ocorreram.

Culpa:

Podemos estar nos culpando por imperfeições aceitáveis e metas quase cumpridas.

Não devemos nos cobrar em excesso, para evitar a culpa e a cobrança exagerada.

Perceba antecipadamente quando você está incorrendo em erro e corrija quanto antes.

Identifique qualquer círculo vicioso do erro e procure uma maneira eficiente de quebrar esse processo.

Quando olhamos o erro com maturidade e serenidade, conseguimos tirar lições valiosas e no final, rir de nós mesmos.

É sinal de que aprendemos a lição e possivelmente não vamos incorrer no mesmo erro.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta