O veneno do ressentimento.

O ressentimento é o veneno que eu tomo, esperando que você morra.

Não é efetivo, é autodestrutivo e pode ser totalmente evitado.

Na vida estamos sujeitos a alguns atropelos, erramos, escorregamos, caímos e ganhamos alguns machucados.

Além disso, não podemos evitar algumas pessoas nos machuquem e nos ofendam.

Temos que aceitar o inevitável, tomando o cuidado para não abrir a guarda para que nos machuquem novamente – não seria inteligente.

Algumas pessoas simplesmente não percebem que nos causam mal, e portanto, seguem repetindo o mesmo processo indefinidamente. É bom guardar uma distância adequada.

Sentimento ruim:

Mas o que fazemos com o sentimento ruim que guardamos dentro de si?

Como fazer para amenizar o gosto ruim que fica, mesmo que o outro já tenha se afastado o suficiente?

É esse o veneno do ressentimento, que produzimos com a ideia de ferir os outros, mas que causa mal somente a nós mesmos.

Temos que praticar o nosso desligamento emocional das pessoas que nos fizeram mal.

Quando conseguimos perdoar, o caminho fica mais fácil, pois não ficamos mais ruminando os eventos e maldizendo as pessoas.

As pessoas têm que assumir a responsabilidade pelos seus atos, e nos casos de delitos sujeitos à punição, devem mesmo ser punidos. E perdoar não quer dizer discordar da punição.

Quando o Papa João Paulo II visitou o rapaz que tentou assassiná-lo na cadeia, ele o perdoou, mas não foi lá pedir para que fosse solto. O perdão deve ser dissociado da punição e da responsabilidade.

O perdão é um ato de amor consigo próprio.

Deixar ir os eventos negativos do passado, pois não vamos conseguir muda-los, é um ato lógico que ameniza o ressentimento, mas difícil de praticar.

Por isso mesmo, temos que fazer um pouco de cada vez, começando pelos eventos mais simples e menos carregados de pólvora emocional.

Comece pela amiga que não foi à sua festa de aniversário. Siga adiante com o amigo que não te ajudou naquele trabalho quando o prazo estava apertado.

Quando você estiver bem treinado e fortalecido, se arrisque nos eventos mais espinhosos.

A prática vai melhorar a sua performance.                                                                                           R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta