O sofrimento extravagante.

Não quero transformar o meu sofrimento num filme concorrendo ao Oscar, onde represento o papel principal.

Sei que não devo fazer drama,  e para isso, tenho que lidar com as minhas dificuldades com serenidade.

Tenho que interromper de vez esse sofrimento extravagante, pois não quero ser lembrado como a pessoa que mais sofreu na face da terra,

Ser discreto, e enfrentar a dor com coragem e paciência, pode amenizar em muito o meu sofrimento.

Estresse:

Devemos fazer um esforço para deixar passar as coisas de menor importância, pois elas acabam se somando e representando uma fonte enorme de estresse.

Não podemos evitar que coisas negativas nos aconteçam, e tropeços e encontrões fazem parte da nossa vida. Mas podemos escolher a maneira como cada coisa vai nos afetar.

A dor pode se inevitável, mas o sofrimento é opcional, já nos cansamos de ouvir, mas temos que criar mecanismos para fazer isso funcionar.

Hoje sei que ficar irradiando o meu sofrimento e divulgando aos quatro cantos é uma maneira inadequada de lidar com ele. Isso vai potencializar e perpetuar o meu sofrimento, além de depor contra a minha imagem. Acabo passando a imagem de uma pessoa fraca que não sabe lidar com os seus problemas.

Cada um sabe dos seus problemas, e eu tenho que aprender a lidar com os meus.

Serenidade:

Se conseguir um pouco de serenidade, sei que as dificuldades e barreiras assumirão a dimensão real. Pois a mente transtornada acaba por construir uma imagem bizarra da realidade, e cada pequeno buraco nos parece um abismo sem fim.

Peço sempre pela coragem para enfrentar o que tenho pela frente e discernimento para saber o que é, e o que não é da minha conta.

Um ponto importante, é deixar de carregar o fardo de outras pessoas. Cada um deve assumir a sua responsabilidade, e isso vale para mim e para qualquer um. Tentar carregar a carga do outro é um sinal de prepotência. Ajudar o outro, dando o apoio e suporte é totalmente diferente, e não devemos nos furtar de ajudar.

Quero reduzir o meu sofrimento, e sei que isso está nas minhas possibilidades.

R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta