O que vier, enfrentarei com serenidade.

Aprendi que de nada adianta exasperar, pois os problemas fazem parte da nossa vida, e vamos resolvê-los, um de cada vez.

Tenho que buscar a serenidade necessária para enxergar as soluções, alternativas e escolhas adequadas.

No meio do furacão, muitas vezes, ficamos confusos, ansiosos e não raro desesperados.

Vá com calma, e tenha noção do que é prioritário. Nem tudo precisa ser resolvido agora, hoje.

Piores problemas:

Não fomos escolhidos para receber os piores problemas, embora essa ideia passe pela nossa cabeça de vez em quando.

Os problemas são muitos, e vários deles nos pegam desprevenidos, mas temos sim a capacidade para lidar com eles.

Preciso ter o cuidado para não culpar os outros nem me culpar, o que pode ser totalmente improdutivo. Levantar a cabeça e enfrentar a situação de cabeça fria é o melhor a fazer.

Quem se lembra dos seus problemas de menino, a roda do carrinho quebrada, o pai que não quer me levar para o cinema hoje. É claro que hoje achamos graça, mas cada problema na sua época.

Do mesmo modo, tenho que pensar em como enfrentarei os problemas que vêm com o envelhecimento. Não preciso ficar neurótico, mas há que se ter planejamento e especialmente prevenção.

Não quero ter problemas dramáticos na velhice e nem quero dar trabalho para os outros, mas o que vier, enfrentarei com serenidade.

Serenidade:

A minha jornada tem sido carregada de dificuldades, mas tenho tido muito contentamento, e quero ter a lucidez para saborear cada detalhe dessa obra única, a minha própria vida.

Não sou nenhum privilegiado, mas sou abençoado por tudo que tenho recebido, e posso dizer que é muita graça.

Acredito, e cada vez mais, me aproximo do Deus da minha crença, pois sei que não estou sozinho nessa empreitada.

Gosto do meu lugar, aprecio o meu caminho, ainda que tenha que lutar, um dia de cada vez.

R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta