O que passou passou, e você deve seguir de cabeça erguida

O que passou passou, e você deve seguir de cabeça erguida

A turbulência passou, a crise se foi e você deve seguir adiante, encarando a vida de frente, de cabeça erguida.

Que alívio saber que já passou, e se sentir tomado pela paz e calmaria que vem após a tempestade.

O pior já passou, agora é tocar a vida adiante.

No trajeto da vida, às vezes somos atingidos por uma tempestade repentina, ficamos desabrigados, esgotados, e não raro com a autoestima lá embaixo.

Dê uma parada para respirar, recuperar o fôlego. Quando tudo parece revirado, o melhor e compreende que a vida é vivida um dia de cada vez.

Assuma aquilo que você consegue dar conta. Não queira uma transformação e uma reviravolta em tudo que representa a sua vida.

Não crie expectativas irreais sobre o que você consegue fazer – você não vai transformar o mundo, e nem por isso você será impedido de ser feliz.

Cuide de si próprio – passada a tempestade, restam dores residuais e alguns machucados para curar.

Tristeza:

Se permita entristecer com as coisas ruins que passaram, mas não se deixe abater – a vida que segue.

Cuide da saúde, da alimentação, do repouso adequado.

É bom compartilhar com alguém de confiança a experiência pela qual acabou de passar.

Alguma coisa nova nasceu da crise. Preste atenção e você vai conseguir identificar. Se for boa, cultive e deixe-a crescer. Você pode muito bem sair renovado da crise, vendo emergir novas oportunidades.

Após a tempestade, saímos transformados e fortalecidos – deixe o novo chegar – aceite e aproveite.

Volte e retome a sua vida normal tão logo seja possível.

Aprendi outro dia que os problemas não ficam problemas para sempre – eles se transformam em alguma outra coisa – é nossa escolha transformá-los em algo que seja para o nosso bem.

Não evite as pessoas e não tenha constrangimento de contar sobre a crise.

Não se isole e não bloqueie seus sentimentos como forma de proteção.

Há vida lá fora.                                                                                                                                              Rubens Sakay (Beco)

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta