O que o coração está tentando dizer.

Quando não nos sentimos confortáveis com alguma coisa, o coração está tentando nos dizer algo.

Devemos ouvir com atenção, com cuidado.

Às vezes estamos em vias de tomar uma decisão, temos dúvidas e sentimos que algo não está certo – é a intuição, a voz do coração.

O coração está tentando dizer alguma coisa.

Alguns dizem que quando a mente está confusa, o coração está mais, e ouvir o coração nessas circunstâncias pode ser desastroso.

Por outro lado, ficar com uma solução que não te deixa confortável, vai te incomodar por longo tempo e vai prejudicar a sua saúde.

O homem se julga muito racional e pensa que está controlando a maior parte das situações, mas os estudos mostram que o irracional em nós domina muito do que somos e fazemos, e uma valiosa reflexão sobre isso, é o livro de Jonathan Haidt – Uma vida que vale a pena.

Decisões desconfortáveis minam a sua energia e cobram um pedágio na sua saúde.

Os pensamentos negativos, tais como a raiva, a inveja e a frustração, fazem o mesmo efeito no seu corpo e na sua saúde.

Há portanto, um perigo em não ouvir o seu coração, o que pode ser lido também no blog – Follow your heart to happiness – Siga o seu coração para a felicidade.

Isso não quer dizer tomar as decisões somente pela intuição e pelos sentimentos – a racionalidade é parte fundamental das decisões, mas não ouvir o coração é um caminho para a infelicidade.

As decisões que não são compartilhadas com o coração, trazem a insatisfação, uma sensação de que falta sentido, de que falta paixão.

Todos nos queremos sentir a abundância da vida, a satisfação de uma vida plena, uma felicidade autêntica, uma relação carinhosa com os mais próximos, e tudo isso não pode simplesmente ser conduzido pelo nosso lado racional.

O que move a nossa ação, a nossa motivação é algo que vem de dentro, do coração, e isso tem que influenciar as nossas decisões e nossos caminhos.

Quando ouço o coração, desço da famigerada esteira hedônica.

Quando ouço o coração, sigo também os meus sonhos mais profundos.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta