O que fiz para merecer isso?

O que fiz para merecer isso? É a pergunta que fazemos em algum momento da nossa vida quando a tempestade nos assola.

Parece que perdemos uma fase enorme da nossa vida.

Parece que partes de nós mesmos foram subtraídas.

As perdas podem parecer enormes, inclusive o sabor pela vida.

Não reclame da sua cruz:

Mas aprendi que não nos é dada nenhuma carga que não tenhamos a capacidade de carregar.

A única coisa comum entre as pessoas é o sofrimento, dizem os budistas, e por tudo isso, aprendi a não reclamar da minha cruz, como já escrevi há tempos atrás.

Mas somos todos fortes, e temos a capacidade de recobrar dos reveses da vida.

Algumas marcas são deixadas, mas temos o tempo e a vida toda para digerir, sublimar, limitando a possibilidade de que elas nos assombrem pelo resto da vida.

A vida é um processo contínuo de aprendizagem e ninguém pode perder a chance de aprender alguma lição nas adversidades.

Qualquer que seja a crise, nós saímos fortalecidos.

As adversidades moldam o caráter, e não devemos pedir para não termos problemas, pois eles nos capacitam para a própria vida.

Uma ajuda Superior:

Também, não estamos sozinhos. Temos a companhia incondicional de uma Força Superior, a companhia valiosa dos amigos e familiares, e principalmente desse eu interior que conseguiu tirar lições das adversidades.

Fique bem – isso também vai passar.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta