O que eu quero.

O que estou fazendo na minha vida pode não ser exatamente o que eu quero.

Podemos ser facilmente manipulados pelos outros e de repente deixamos de viver a própria vida.

Entenda o que acontece contigo. Preste atenção nas suas vontades e suas necessidades. Mas fique atento para as coisas reais, e não aquelas impostas ou sugeridas de fora.

Dentro de você:

Não se perca nas mensagens de fora, para não perder as mensagens de dentro.

Estou com fome? Estou cansado? Estou alegre? Me sinto sózinho?

Esteja mais consciente e perceba as suas próprias mensagens. É muito melhor seguir as suas próprias vontades parcialmente do que seguir a vontade e opinião dos outros perfeitamente.

Faça uma lista das coisas que realmente gosta. Se abstraia nesse momento das opiniões e vontades de outras pessoas.

Se abstraia do que está na moda, do que é chique, do que é caro, do que é elegante.

Afaste por um momento os filtros preconceituosos – brega – mico – não é inteligente – coisa de boiola – coisa de velho etc.

Mantenha essa lista para um exame de vez em quando.

Veja se você está concentrado nas suas vontades.

Quando relaxamos e deixamos a vida nos levar, acabamos entrando em piloto automático, e fazendo o que os outros querem que façamos.

Cuide com carinho da sua individualidade.

Seja você mesmo.

Rubens Sakay (Beco)

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta