O que eu quero pode não ser o que eu preciso.

Às vezes a minha percepção pode estar enviesada quanto ao que estou querendo neste momento e a minha real necessidade.

O hábito nocivo de querer o que não preciso é próprio de quem está anestesiado correndo na esteira hedônica.

Mais dinheiro, uma viagem ao exterior, um carro novo, uma casa maior, tudo isso pode não ter relação com aquilo que realmente preciso.

De repente, a minha real necessidade pode ser coragem para enfrentar um problema sério, serenidade para encontrar a solução, humildade para procurar ajuda, e gratidão para reconhecer uma ajuda amiga.

Um exercício precioso é descer momentaneamente da esteira hedônica, respirar fundo e examinar aquilo que realmente necessito.

O que está me fazendo falta neste exato momento?

O que preciso para ser feliz agora?

O efeito mais insidioso da esteira hedônica é manter a mente muito focalizada no universo enorme de coisas que eu quero, sem deixar espaço para perceber as poucas coisas fundamentais que eu preciso.

Beco

1 Comentário

Joelson Vellozo Jr.

about 8 anos ago

Olha... um dos melhores posts até agora! Ao menos no meu ponto de vista, uma lição das mais fundamentais! Gostei muito da clareza e precisão destas linhas...

Responder

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta