O que estou fazendo com aquilo que tenho.

Ao invés de desejar ardentemente aquilo que não tenho, deveria examinar o que estou fazendo com aquilo que tenho.

É um paradoxo, mas quanto mais fizer uso dos recursos que já tenho, mais eles parecerão ilimitados.

Para você poder usufruir plenamente aquilo que você já tem, é preciso sentir a gratidão e a alegria por ter isso tudo.

A infelicidade pode estar em buscar indefinidamente aquilo que não tem, deixando de viver a valiosa experiência de usufruir daquilo que já tem.

Isso vale para a casa onde hoje mora, vale para o emprego que hoje tem e também para o carro que você fica sempre pensando em trocar.

Só para exercitar, pegue alguma coisa que você não usa mais, por qualquer motivo, e bote para funcionar. Sinta a satisfação de tê-lo e a satisfação se usá-lo.

É claro que se você não vai mais utilizá-lo, você deve pensar seriamente em dar para alguém ou vender. Enfim, isso está atrapalhando a sua vida – você está carregando um monte de entulho que não usa.

Uma velha história do adulto que se aproxima de um garoto brincando com seu joguinho:

-aproveite meu filho porque estes são os melhores anos da sua vida.

No que o garoto replicou:

-quer dizer que vai ficar pior?

Para muitos, o momento presente é um momento ruim, assim como a casa que tem é ruim, o carro é ruim, e essa atitude o leva indefinidamente à escravidão da esteira hedônica.

Tem que aproveitar o momento.

Tem que aproveitar o que tem.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta