O poder da nossa mente.

O maior poder que temos para mudar a realidade, não é atuando sobre ela, mas mudando a nossa mente e a maneira como enxergamos cada coisa na nossa vida.

Nas adversidades, podemos enxergar lições e aprendizagem.

Nas realizações e alegrias, podemos enxergar bênçãos e experimentar a gratidão.

Mas podemos também fazer o oposto. Mesmo com evidências positivas, enxergar o desastre o fracasso.

Amor e energia:

Ainda que as pessoas te tratem bem e coloquem amor e energia nos relacionamentos, podemos enxergar descaso, inveja e interesse próprio.

Temos o poder de mudar a nossa realidade simplesmente mudando o nosso padrão mental.

Isso é um exercício difícil, mas totalmente possível, e algumas dicas podem ajudar.

Temos o entendimento de que a felicidade é algo que acontece em algum momento, aquele alardeado pelos comerciais de televisão, aquele que o cartão de crédito não consegue comprar.

Mas esses momentos são raros, e podemos ser feliz enquanto isso não acontece, simplesmente mudando a nossa disposição para ser feliz.

Há sempre aquela discussão sobre a felicidade; é um sentimento, uma sensação, ou um estado mental?

Referência positiva:

E esse estado mental, esse referencial positivo frente à vida, pode ser exercitado, assim como puxamos e empurramos ferro na academia. E a coisa mais fantástica, é que podemos exercitar em todos os momentos da vida, especialmente quando não estamos fazendo nada, simplesmente sentados num restaurante, esperando o café chegar.

A reflexão positiva, resgatando os momentos felizes, constando a graça que é estar vivo neste exato momento, e projetando coisas boas para o futuro, é uma ginástica emocional e espiritual para o bem do estado mental saudável.

Coloque sempre como referências, as coisas boas da vida.

Trabalhe os eventos, ditos negativos, do seu passado como degraus para o seu crescimento. E a maneira boa para fazer isso, é repensar tais eventos, tirando lições construtivas de cada uma. Nada vem por acaso, e cada experiência é uma lição em si.

Olhe para si mesmo de maneira positiva. Não se critique exageradamente, aliás, procure motivos para se elogiar.

Olhe para os outros com generosidade, empatia e compaixão.

Pense nisso tudo como uma academia de ginástica que você pode frequentar sempre que quiser.

R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta