O perdão me libertou.

Me libertei das amarras que me impediam de crescer, e o perdão foi a chave dessa libertação.

Por longo período me culpei e culpei os outros por tudo aquilo que me foi privado.

A carreira, a profissão, o sucesso financeiro e tantas outras expectativas não totalmente sucedidas, me empurravam para algum tipo de culpa, e o meu divertimento foi culpar a todos por cada uma das divergências da vida.

A pratica do perdão foi uma liberdade que me proporcionou um bem estar enorme.

Sem culpados:

Ainda hoje, experimento a serenidade de não ter que procurar por culpados. A liberdade para seguir adiante, sem olhar para trás, sem um peso atado aos meus pés, é algo que não tem preço.

E pensar, que para todo esse benefício, bastou uma mudança na minha atitude. Olhar o mundo com mais generosidade e menos prepotência.

A vida não é como imaginamos e desejamos, mas podemos aceitar e viver bem com aquilo que nos é oferecido, que não é pouco.

A vida é abundante, e basta um olhar retrospectivo honesto para ver o quanto nos é agraciado.

Temos ajuda de tantas maneiras, e pessoas que sequer conhecemos se movem para nos ajudar em ocasiões inesperadas.

Tudo isso nos leva a uma simples reflexão: para o meu próprio bem, posso fazer diferente – posso escolher ser uma pessoa melhor, um dia de cada vez.

Não somos perfeitos:

E também não o são as outras pessoas. Mesmo assim podemos viver em comunidade, com alegria, usufruindo da beleza e da individualidade de cada um.

Somos os melhores conhecedores de nós mesmos, e se concentrar no nosso próprio caminhar, nos torna produtivos e felizes.

Temos mais a contribuir para o nosso próprio crescimento, quando nos desamarramos da vida dos outros, julgando, criticando e culpando.

Podemos nos perdoar pelos erros do passado, cientes de que aprendemos a lição, e isso nos fez pessoas fortalecidas e boas.

Viver com leveza, é permitir que o perdão nos liberte para a felicidade.                                 R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta